Parabéns para mim, nesta data…

temos o que comemorar? temos sim

O blog Desafiando Limites completa um ano de atividades, contadas de sua efetiva entrada “a vera” no ar. A criação do blog na plataforma wordpress.com deu-se em fins de janeiro de 2010. Essa data está levando em conta o início das atividades de forma intensa e constante, aproveitando um período de férias para postagens e seleção de assuntos, resgate de posts e artigos antigos em outros sites, etc.

Nesse breve um ano de vida (de fato), aprendi muitas coisas, e ficaria difícil aqui elencar todas, então farei uma pequena seleção das mais marcantes:

  1. aprendi a enxergar as coisas com olhares mais críticos e minuciosos. Sim, quem se dispõe a escrever deve, de uma maneira ou de outra, aprender a ser mais criterioso com o que lê e como analisar as coisas que lê. Aprendi que, às vezes, nosso senso crítico é formado, também, pela leitura de textos contrários ao que cremos ou de pessoas que pensam de forma diferente ou mesmo antagônica a nós. Se ficarmos somente lendo textos de quem concordamos, podemos nos alienar, sem saber que o mundo tem coisas diferentes do mundinho idealizado por nós;
  2. aprendi a ser mais perseverante em colocar no papel – ou na net – coisas do cotidiano que, à primeira vista, parecem ser banais e corriqueiras, experiências comuns na vida de uma pessoa normal. Ledo engano, pois é, às vezes, nos acontecimentos normais, que tomamos decisões fora do comum e que podem vir a se tornar referência para outros, quase como um copo de água em meio a uma caminhada sedenta. Escrever meu texto mais bem avaliado no blog (até agora) Tenha cuidado ao regar seus sonhos, me mostrou isso;
  3. aprendi que nossos esforços e iniciativas que visam auxiliar os outros podem ter um efeito além de nossas expectativas. Pode ser que alguém, geograficamente distante de você, sinta-se bem próximo da experiência que você conta e isso pode se tornar um diferencial em sua vida, refazendo suas forças exauridas e tornando a dar um ânimo outrora esquecido. Meu texto Vou desistir! Não aguento mais.. tornou-se, para alguns, pelos comentários que deixaram onde o leram, o ponto de inflexão em suas vidas, o que faltava para dar-lhes, novamente, um fio de esperança em meio ao cruel labirinto do desânimo que a vida nos traz;
  4. aprendi que o maior patrimônio que um blogueiro tem é o conjunto de seus leitores, sejam eles fiéis, constantes ou esporádicos. O respeito aos leitores, pensem da mesma forma que você, ou não, é um requisito imprescindível para mantê-los cativos (no sentido proposto por Exupéry, de que você é responsável pelo que cativa) ao blog. Coerência é outra palavra que merece ser destacada e posta em prática. Meus leitores poderão discordar do que eu escrever mas, se eu mantiver o respeito e a coerência, poderei até, quem sabe, granjear sua admiração, apesar de sua discordância;
  5. aprendi que, em meio a um mar de informações, muitas vezes conflitantes, as pessoas procuram a opinião de alguém sobre determinado assunto ou tema, não necessariamente para seguirem cegamente o que ele diz, mas para pesarem os prós e contras e decidirem que direção irão tomar, com base no que leram. Tenho procurado imprimir isso ao blog, deixando aos leitores que leem e analisam meus parcos escritos que é a minha opinião sobre tal assunto que é posta, mas mesmo que eu considere a última palavra sobre o assunto, não a coloco dessa forma, deixando a eles a tarefa de se decidirem e agirem por si próprios, sem cabrestos ou viseiras. Aliás, essas indumentárias eu tenho me proposto banir de minha vida, e tento auxiliar meus leitores a fazerem o mesmo.

Enfim, este é apenas mais um blog do wordpress, em meio à vastidão da net brasileira e gospel. Estou consciente que não é o melhor nem o mais abrangente, sei de minhas limitações, e elas envolvem tempo, inspiração, experiências e talento. Sei que a maioria de meus textos tem pouca influência na vida de muitos, e poucos textos podem se dar ao luxo de avocarem para si o título de “bem escritos”, mas ainda assim, vou teimando em continuar escrevendo.

Às vezes, no passado, eu pensava que escrevendo iria conhecer os outros, mas descobri que, escrevendo, estou me conhecendo cada dia mais: conheço-me mais como crente, com todas as suas nuances, tanto para o bem como para o mal; conheço-me mais como homem, tanto nos defeitos como nas virtudes; conheço-me mais como ser humano, na infinita abrangência desse termo minúsculo de ser; conheço –  e surpreendo-me – essa virtude oculta que é escrever, desnudar-se perante os leitores e tornar-me quase transparente, às vezes, outras como se fora um espelho, que reflete no escrito aquele que o lê, mais do que quem o escreveu.

Conheço-me, a cada dia. Às vezes, surpreendo-me comigo mesmo, embora em outras a decepção volte a se tornar uma sombra difícil de ser oculta e superada. É nesses momentos de trevas e dúvidas, onde a tentação em ocultar os erros e pecado se torna terrível que, contrariando meus instintos e bom senso, vou em direção à luz, e lanço ao sabor das ondas virtuais minhas dúvidas e dilemas, partilhando com meus leitores segredos e culpas.

Por fim, aprendi a maior lição de todas: sou imperfeito e, em que pese ter melhorado bastante, continuo cada vez mais consciente de que preciso, de fato, de um Salvador. A dúvida que me assalta quando penso que razão Ele teria para salvar um culpado como eu se desvanece quando percebo que Ele só poderia intentar tal disparate se me amasse de tal forma que me perdoasse e me aceitasse como sou. Sim, Ele me ama, e essa frase tão simples e pequena parece ser razão suficiente para que Ele me salve e me regate de meu eu. Nesse resgate, descubro, então, que já não vivo eu, mas que Ele vive em mim.

Soli Deo gloria.

Desafiando os Limites, ora da prosa, ora da poesia, para fazer desses nossos momentos, caro leitor, raras ocasiões de alegria e cumplicidade virtual.

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!

Wallace

Just another little servant of the Lord Jesus Christ. Apenas mais um pequeno servo do Senhor Jesus Cristo. Editor do blog Desafiando Limites (http://wallysou.com). Crítico do cristianismo evangélico da prosperidade e pensador cristão amador.

Website: http://wallysou.com/

Faça seu comentário e enriqueça o post!

3 Comentários

  1. Pingback: Um grande passo para nós, para a Humanidade nem tanto… at Desafiando Limites e Vencendo Barreiras

  2. Concordo em gênero, número, grau e kilômetros de distância (calma que eu
    explico!), hehehe!

    Quem se presta ao esforço de ler, descobre a cada dia que deve selecionar o
    que é útil, e descartar sumariamente as futilidades das listinhas de
    best-sellers que sempre insistem em pipocar em promoções etc…! Assim, o
    exercício da crítica torna-se algo até natural, pois já se inicia na seleção
    da própria leitura.

    Em relação às "coisas do cotidiano", sem dúvida é uma via de mão dupla, em
    que ao mesmo tempo em que arrisca-se uma "abertura" maior de sua vida para
    terceiros – com consequências imprevisíveis -, o escritor também consegue
    uma maior identificação com o público leitor – que normalmente têm também a
    sua própria vida privada (que maldade, hehehe!).

    Agora quanto a esse alguém "geograficamente distante", eu entendi muito bom
    o recado, viu! Hehehehe! Deixe estar que você ainda vem dar uma passeada por
    aqui na terrinha e a gente te acha "na reta", viu! KKKKKKK!

    É brincadeira, obviamente – em defesa de nosso lindo [e distante] Mato
    Grosso -, mas é surpreendente constatar que pessoas de locais tão distantes
    acabam sendo alcançadas. E tudo de uma forma despretensiosa, como eu sei que
    o é. O último relatório de nosso site da AFP também me surpreendeu neste
    sentido, quando descobri que temos audiência até internacional… "tchique
    no úrtimo", como diz o cuiabano!

    Quanto à procura das pessoas por "opiniões" e não mais somente informações
    para análise e conclusão própria, talvez seja até bíblico, né!? ("amontoarão
    para si doutores": 2Tm 4:3 &lt ;http://www.bibliaonline.com.br/acf/2tm/4/3+>).

    Me fez lembrar de uma matéria que "tangenciamos" no programa
    Comoviveremos, sobre a afirmação de um executivo do Google, de que as
    pessoas não querem só que o Google entregue a elas a informação que buscam.
    Elas querem que se diga também o que fazer depois. Ou seja, querem uma
    "opinião", não só informação para análise – leia-se "pensar".

    Por fim, minha maior identificação com o seu trabalho mesmo é que, a cada
    dia mais reconheço também que sou mais do que falho, e careço
    desesperadamente de um Salvador.

    P.S.: Avalie se pode ser postado direto no blog ou carece de "retoques".
    Tenha a liberdade…!

    De vosso conservo em Cristo,

    • obg, amado, pelas palavras que acrescentaram e enriqueceram o post.

      gde abço, apz.

      wally.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *