o alvo é a cruz“possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade,

e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus.”

Efésios 3:18,19 NVI

Existem várias formas de se enxergar a Cruz de Cristo e não estou, com isso, desmerecer qualquer delas. Caso você já tenha visto ou lido algum estudo sobre o que a Cruz de Cristo representa para sua vida, esta é apenas mais uma.

A forma mais simples e, talvez, mais correta de se ver a Cruz de Cristo é aquela que a mostra como o lugar onde Deus cravou nossos pecados e Cristo se fez maldição por nós, para nos dar a salvação eterna.

Paulo tem uma frase, aliás duas, que demonstram claramente isso. A primeira se encontra em 1 Coríntios:

Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.

1 Coríntios 2:2

A segunda em Gálatas:

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Gálatas 2:20

Com isso Jesus nos reatou ao Pai, ou seja, ele nos deu o presente da reconciliação com Deus, ao mesmo tempo que nos tornou ministros da reconciliação. Confira:

E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;

2 Coríntios 5:18

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!

Mas, nos versos que escolhi para abrir este post, de Efésios, Paulo aborda o amor de Deus, manifesto em Cristo, sobre quatro aspectos ou dimensões, se preferir, quais sejam:

  1. largura;
  2. comprimento;
  3. altura; e,
  4. profundidade.

Particularmente, eu sempre tive curiosidade de saber o que era isso, mas nunca ouvi ou assisti nenhum estudo ou pregação sobre esse tema.

Certa vez, quando eu morava em Natal, ouvi um pastor comentar que tinha ouvido uma pregação sobre o assunto e havia sido tremenda, que havia deixado ele maravilhado, mas não entrou em maiores detalhes. Uma pena, fiquei com água na boca e nunca me esqueci desse texto.

Mas, há algum tempo, lendo um estudo em um livro (cujo nome me falta agora; caso me lembre coloco depois) eu vi um desenvolvimento sobre os quatro aspectos em que a salvação por meio de Cristo nos reconciliou.

Na verdade, o autor fez um desenvolvimento teológico do tema, mas não me recordo se ele fez uma ligação com esses versos de Efésios, como estou fazendo agora.

Portanto, caso eu esteja falando alguma bobagem, assumo o risco e a responsabilidade por isso, ok?

Pois bem, a morte de Cristo nos trouxe reconciliação em quatro áreas ou, melhor, relacionamentos. Em outras palavras, a morte vicária de Cristo veio trazer cura e restauração a quatro relacionamentos que todo homem possui.

Quais são eles?

  • o relacionamento superior, com Deus;
  • o relacionamento interior, consigo mesmo;
  • o relacionamento longitudinal, com os outros seres humanos; e,
  • o relacionamento inferior, com a natureza.

A morte de Jesus trouxe todos esses benefícios para nós, mas não são todos que estão cientes disso e, por esse motivo, deixam de desfrutar todas as bênçãos conquistadas na Cruz, por nosso Senhor.

Muitos pensam que a reconciliação veio apenas e tão-somente nos reconciliar, reatar nosso relacionamento, com Deus, o Pai.

Não, longe disso. Sim, estou ciente de que esse é o maior benefício que a morte de Jesus nos trouxe, mas não é o único e, nem por isso, aquele que devemos usufruir única e exclusivamente em nossa caminhada cristã.

A morte de Cristo nos reconciliou com o Pai, mas também veio trazer paz e restauração com nosso eu interior (nosso aspecto psicológico), como nossos semelhantes e, também e não menos importante, com a própria natureza.

Nesta imagem esquematizada você pode ter uma noção do que estou querendo dizer quando a cruz demonstra o amor de Deus manifesto em Cristo nas dimensões de altura (A), comprimento (C), largura (L) e profundidade (P).

Confira:

love of God in Christ

Vamos abordar, brevemente, cada aspecto desses, mas principalmente nesses menos falados e comentados.

Entenda, não estou diminuindo o valor da reconciliação com Deus o Pai, mas apenas abordando os outros aspectos que foram negligenciados e, portanto, estão sendo ignorados por muitos para seu próprio prejuízo.

A dimensão superior pode ser representada pela “altura” de Efésios 3.18, ou seja, a restauração do relacionamento do homem com Deus, que foi quebrado no Éden.

A restauração do homem consigo mesmo, ou seja, uma renovação mental e emocional que traz uma libertação da escravidão do medo, da angústia, da depressão, da ansiedade e de toda e qualquer emoção negativa e tóxica pode ser representada pela “largura” no verso 18.

Já o “comprimento” expresso no texto de Paulo representa a restauração do homem com seu semelhante, com seus amigos, inimigos, parentes, vizinhos, colegas de trabalho e até mesmo desconhecidos.

Sim, a cruz de Cristo traz reconciliação do homem com seu semelhante conforme Paulo asseverou em Romanos:

Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.

Romanos 12:18

Ou seja, você não é mais escravo do ódio quando conhece o poder do perdão divino demonstrado na cruz do calvário.

E, por fim, no aspecto relacional com a natureza representado pela “profundidade” o ser humano pode se reconciliar com tudo o que está dentro do aspecto terreno, natural.

Para deixar o argumento mais fácil de entender e didático, fiz uma imagem que vou deixar disponível aqui para os leitores do blog Desafiando Limites.

Basta clicar para ir para a imagem, caso não a esteja vendo bem aqui:

how to view cross Christ

Na imagem você vê que o homem está no centro da cruz, certo? Pois foi lá que Cristo foi para tomar o lugar do homem, já que nós merecíamos morrer naquela cruz, mas Jesus foi e morreu por nós, por mim e por você.

Agora, depois da morte vicária (substitutiva) de Cristo em nosso favor, nós recebemos os méritos da morte de Jesus, quais sejam, a reconciliação, essa mesma que eu dividi em quatro aspectos.

Ficou claro agora, para você? Ótimo.

Portanto, meu caro leitor que já é cristão, saiba que na Cruz de Cristo nós temos à nossa disposição muitas bênçãos conquistadas por Ele, para nós:

um relacionamento próximo e íntimo com o Pai, cura de nossas emoções e temores, reatamento das relações com nossos semelhantes e até mesmo, pasme, um novo relacionamento com a própria natureza, ou seja fauna, flora, etc!

Tudo isso é seu por direito como filho de Deus, conquistado pelo Filho enviado pelo Pai, para nosso benefício.

Mas é óbvio que esses aspectos reconciliatórios não serão manifestos em sua totalidade para nós: ainda haverá temores, dúvidas e tristezas nos assolarão, enfrentaremos oposição, perseguição e traições. Não nego nada disso.

Todavia, esses efeitos, ainda que limitados no presente, manifestam-se de imediato quando você se rende a Cristo e reconhece seu sacrifício na cruz em seu favor. O remédionão provê cura completa, mas traz alívio imediato.

E é essa uma das grandes tragédias no meio cristão atual: pessoas continuarem sofrendo desnecessariamente em áreas nas quais Jesus já trouxe alívio, consolo e conforto.

Veja o que ele, Jesus, mesmo disse:

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.

Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

Mateus 11.28-30

E para você, leitor ou leitora, que ainda não é cristão, o que isso tem a ver com você? O que isso pode fazer por você?

Sim, este é, também, um post evangelístico, eu estou me dirigindo a você que ainda não conhece e não entregou sua vida a Jesus, porque este tema lhe interessa.

Você acha que veio até aqui por acaso, assim, de graça? Que caiu de paraquedas aqui? Ou será que foi Deus quem lhe trouxe?

Eu acho, quer dizer, eu tenho certeza que foi Deus quem trouxe você aqui. E sabe para quê? Para dizer que naquela cruz Ele demonstrou um grande amor por você.

Cabe a você, agora, ciente disso, reconhecer o sacrifício dEle em seu favor e tomar posse dele para sua vida. Que tal se render ao pé da cruz e tomar posição ao lado de Cristo, confessando-o como seu Senhor e Salvador?

Sabe, eu nunca escrevi um post assim, tão direto, que fosse tão objetivo e sem rodeios, falando da salvação. Mas, hoje, eu senti essa necessidade, de tentar atingir o coração, a alma e a mente dos leitores não cristãos com uma menssagem simples, porém direta e sincera.

Jesus te ama. Entendeu agora? Eu até desenhei pra você entender melhor, viu? E olha que pra desenhar eu não sou lá essas coisas, deu pra perceber né?

Renda-se ao amor de Deus e aceite-o como Senhor e Salvador. Ele quer entrar em sua vida e transformar você, trazendo redenção e reconciliação para todo o seu ser, em todos os aspectos da sua vida.

Se você quer dizer sim ao convite de Cristo para uma nova vida, faça essa oração comigo:

“Senhor Jesus, eu te reconheço como Senhor e Salvador de minha vida pelo teu sacrifício em meu favor na cruz do calvário e quero, com Tua graça, viver uma nova vida a partir de hoje, de agora mesmo. Abro o meu coração para ser morada do teu Espírito Santo e quero ser uma nova criatura.

Dá-me vontade e desejo de ler a tua Palavra e me leve a uma comunidade onde eu possa te conhecer melhor e te adorar. Que o teu Espírito me dê a alegria de sentir a tua presença e me guarde do mal até a tua volta. Em nome de Jesus eu oro. Amém!”

Se você fez essa oração com sinceridade, você se tornou morada do Espírito Santo e a sua vida não será a mesma a partir de agora.

Se quiser, deixe uma comentário com seu nome que nós vamos orar por você, sim?

Deus te abençoe, meu irmão.

#Tamojunto até o fim (risos)!

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!