Você faz obras que perduram e deixam um legado às próximas gerações?

Texto Bíblico: Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele. Eclesiastes 3:14

Doe um livro e transforme a vida de um preso brasileiro

Ilustração, Reflexão ou Aplicação Prática:

Nós poderíamos falar sobre vários aspectos desses versículo, e ele é tão rico que precisamos escolher sobre o que falar para não corrermos o risco de tentarmos falar de tudo e acabarmos falando de nada.

Portanto, podemos falar do contraste entre as obras humanas e as divinas. As obras humanas não duram eternamente, não são incompletas (sempre está faltando algo a ser acrescentado), e sempre tem algo sobrando que deve ser tirado para tornar as coisas melhores.

Se nós tivermos consciência que somos humanos, e não divinos, nós nos voltaremos a estar sempre aprendendo a cada dia, acrescentando novos conhecimentos aos que já sabemos e, também, retirando coisas velhas e inutilidades que perderam seu valor ou sua relevância temporal.

Algo que podemos inferir disso é que, quando estamos tentando dar àquilo que fazemos um valor eterno nós estamos querendo ser divinizados, endeusados.

E não existe coisa ou pessoa mais perigosa ou ameaçadora do que aquela que quer ser adorada como divina. Portanto, a lição que nós podemos tirar hoje desse versículo é: estamos querendo ser tratados como deuses?

Nós estamos considerando e querendo que nossas obras sejam encaradas como perfeitas, que não podem ser “mexidas”, “modificadas” ou “aperfeiçoadas”?

Ao encararmos aquilo que fazemos como “imexíveis” ou “intocáveis”, nós estamos nos tratando como deuses e, em seguida, vamos exigir que os outros nos tratem da mesma forma.

Mas, isso não acontece de uma vez e nem de supetão: geralmente, começa aos poucos: nós nos irritamos com críticas, principalmente aquelas merecidas e cabíveis, não queremos aceitar sugestões de melhoria no que fazemos e deixamos a arrogância aflorar.

Paradoxalmente, os homens que se comportam como o que são, ou seja que se comportam como verdadeiros seres humanos, falíveis e desejosos de melhorar, são as melhores companhias.

Ao passo que as piores companhias são aquelas que não se deixam admoestar e corrigir e já se acham perfeitas e intocáveis.

Dentre esses dois tipos de pessoas, em qual você se enquadra: nas falíveis e em constante aperfeiçoamento ou nas que já se acham perfeitas e divinas?

Oração de: humilhação

Pai de amor e de bondade, eu quero te agradecer, meu pai, por ter tantas vezes me mostrado meus defeitos e ter me feito encarar meus erros e falhas e, com isso, me possibilitar crescer e melhorar para glória e louvor do teu santo nome. Em teu Filho amado Jesus eu oro. Amém.

Quero convidar você a me ajudar a realizar um sonho muito especial! Eu quero levar uma palavra de esperança e conforto aos presídios brasileiros.

Quer conhecer meu projeto? Assista meu vídeo e veja minha campanha na Kickante Adote um preso – Doe livros, doe liberdade.

Confira em: https://kickante.com.br/adoteumpreso

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!

Wallace

Just another little servant of the Lord Jesus Christ. Apenas mais um pequeno servo do Senhor Jesus Cristo. Editor do blog Desafiando Limites (http://wallysou.com). Crítico do cristianismo evangélico da prosperidade e pensador cristão amador.

Website: http://wallysou.com/

Faça seu comentário e enriqueça o post!

Olá, agradecemos sua visita e seu comentário. Sua opinião enriquece a discussão e é importante para nós, obrigado!