Arquivo da tag: injustiça

Por que, afinal, existem crucifixos nos tribunais do Brasil?

Por que existem crucifixos nos tribunais do Brasil?

parcialidade-julgamento
dois pesos e duas medidas... justiça cega é isso aí

De todos os argumentos em prol da manutenção dos crucifixos em repartições públicas, este eu ainda não conhecia. E, de longe, achei o melhor, principalmente no contexto histórico da decisão da retirada de crucifixo pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Uma verdadeira aula de história e coerência.

Às vezes, eu me pergunto: o que alguém poderia temer se fosse julgado pelos critérios bíblicos? Deveria temer que a justiça fosse feita, se ele fosse culpado! Em um país enlameado permeado pela impunidade, isso é algo que traz arrepios a muitos.

Tempos apocalípticos

Por Paulo Brossard, ex-ministro do STF, no Jornal Zero Hora.

Minha filha Magda me advertiu de que estamos a viver tempos do Apocalipse sem nos darmos conta; semana passada, certifiquei-me do acerto da sua observação, ao ler a notícia de que o douto Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça do Estado, atendendo postulação de ONG representante de opção sexual minoritária, em decisão administrativa, unânime, resolvera determinar a retirada de crucifixos porventura existentes em prédios do Poder Judiciário estadual, decisão essa que seria homologada pelo Tribunal. Seria este “o caminho que responde aos princípios constitucionais republicanos de Estado laico” e da separação entre Igreja e Estado.

Tenho para mim tratar-se de um equívoco, pois desde a adoção da República o Estado é laico e a separação entre Igreja e Estado não é novidade da Constituição de 1988, data de 7 de janeiro de 1890, Decreto 119-A, da lavra do ministro Rui Barbosa, que, de longa data, se batia pela liberdade dos cultos. Desde então, sem solução de continuidade, todas as Constituições, inclusive as bastardas, têm reiterado o princípio hoje centenário, o que não impediu que o histórico defensor da liberdade dos cultos e da separação entre Igreja e Estado sustentasse que “a nossa lei constitucional não é antirreligiosa, nem irreligiosa”.

É hora de voltar ao assunto. Disse há pouco que estava a ocorrer um engano. A meu juízo, os crucifixos existentes nas salas de julgamento do Tribunal lá não se encontram em reverência a uma das pessoas da Santíssima Trindade, segundo a teologia cristã, mas a alguém que foi acusado, processado, julgado, condenado e executado, enfim justiçado até sua crucificação, com ofensa às regras legais históricas, e, por fim, ainda vítima de pusilanimidade de Pilatos, que tendo consciência da inocência do perseguido, preferiu lavar as mãos, e com isso passar à História.

Em todas as salas onde existe a figura de Cristo, é sempre como o injustiçado que aparece, e nunca em outra postura, fosse nas bodas de Caná, entre os sacerdotes no templo, ou com seus discípulos na ceia que Leonardo Da Vinci imortalizou. No seu artigo “O justo e a justiça política”, publicado na Sexta-feira Santa de 1899, Rui Barbosa salienta que “por seis julgamentos passou Cristo, três às mãos dos judeus, três às dos romanos, e em nenhum teve um juiz”… e, adiante, “não há tribunais, que bastem, para abrigar o direito, quando o dever se ausenta da consciência dos magistrados”.

Em todas as fases do processo, ocorreu sempre a preterição das formalidades legais. Em outras palavras, o processo, do início ao fim, infringiu o que em linguagem atual se denomina o devido processo legal. O crucifixo está nos tribunais não porque Jesus fosse uma divindade, mas porque foi vítima da maior das falsidades de justiça pervertida.

Não é tudo. Pilatos ficou na história como o protótipo do juiz covarde. É deste modo que, há mais de cem anos, Rui concluiu seu artigo, “como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz covarde”.

Faz mais de 60 anos que frequento o Tribunal gaúcho, dele recebi a distinção de fazer-me uma vez seu advogado perante o STF, e em seu seio encontrei juízes notáveis. Um deles chamava-se Isaac Soibelman Melzer. Não era cristão e, ao que sei, o crucifixo não o impediu de ser o modelar juiz que foi e que me apraz lembrar em homenagem à sua memória. Outrossim, não sei se a retirada do crucifixo vai melhorar o quilate de algum dos menos bons.

Por derradeiro, confesso que me surpreende a circunstância de ter sido uma ONG de lésbicas que tenha obtido a escarninha medida em causa. A propósito, alguém lembrou se a mesma entidade não iria propor a retirada de “Deus” do preâmbulo da Constituição nem a demolição do Cristo que domina os céus do Rio de Janeiro durante os dias e todas as noites.

Vi no blog do Reinaldo Azevedo.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

E curta nossa página no Facebook: Desafiando Limites!

Brasil: um país rico de pessoas pobres

Brasil: um país de tolos?

Esta charge do Fred, do site SuperPeru, conseguiu despertar a indignação adormecida dentro de mim:

aposentados
Coisas de gente poderosa sem temor a Deus (amplia)

Isso deve ser motivo de piada internacional:

1. trabalhador honesto, que passa a vida toda contribuindo com impostos e suor para tornar este país viável, quando quer se aposentar, tem que enfrentar uma verdadeira via crucis. Meu pai, acidentado, só conseguiu se aposentar via decisão judicial.

2. juiz pego com a boca na botija, ou com o butim na mão, sabe q punição que recebe? Aposentadoria com proventos integrais! Isso é punição? Punição é a aposentadoria do trabalhador! Onde, em que lugar do mundo é punição você ser aposentado com um salário de mais de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por mês? ONDE? Ah, sim… aqui no Brasil…

Sabe o que isso significa? Que o Congresso (legisladores) e o Judiciário estão dizendo, em outras palavras, à população: quem é trouxa vai trabalhar, quem é esperto, rouba e, se for pego, ainda sai no lucro. O ditado popular “rico não vai preso” está se tornando cada vez mais presente, principalmente quando os bandidos usam toga!

Mas, eu louvo a Deus que disse que quem tem sede de justiça será farto. Senhor, o Brasil está sedento de justiça verdadeira. Por favor, abra os céus desta nação e faça chover sobre nós justiça de verdade, juízos retos e julgamentos honestos, Senhor!

#indignado

Isso é um total disparate contra o bom senso, um atentado à inteligência e uma afronta aos Céus! Deus tenha misericórdia de nós…

Estressante.com: A via-crucis de um cliente virtual OU Davi x Golias

uma luta desigual, mas a vitória é possível

Este post tem uma motivação: indignação. Revolta. Com o descaso e com a forma de tratamento dada a um cliente virtual da loja Estressante.com Insinuante.com. Esse cliente sou eu. Por que dessa sangria desatada? Calma, que eu explico.

Comprei um produto para presentear minha mãe, no dia 29/04/2011, na esperança – vã -, de que ela pudesse receber antes ou logo após o dia das mães. Ledo engano. Pois bem, até esta data, precisamente 16 de junho de 2011, ainda não foi entregue o bendito produto. Agora, vou mostrar o porquê de minha indignação com essa loja virtual Estressante.com. Leia com calma e atenção, coloque-se no meu lugar e me diga: estou errado? Estou fazendo tempestade em copo-d’água? Estou querendo aparecer? Ou estou simplesmente certo em minha reclamação? E se fosse você, o que faria?

clique para ampliar - o início do drama

Observe que o prazo de entrega JÁ era bastante dilatado. O que justificaria uma entrega após a expiração desse prazo? E a não entrega, até agora? Mas, eu não fiquei parado, entrei em contato várias vezes. Minto: tentei entrar em contato, pois o teleatendimento da loja é um likso (o “x” também tem som de ks, sabia?). Para ser atendido, nem com vela de 7 dias queimando do lado: a vela acaba e você não é atendido… Isso é que é qualidade de atendimento, para cobrar, que fique bem claro.

Primeiro contato formal de reclamação: 1º de junho. Cobrei resposta em 09 de junho. Eu mereço…

teste de paciência – nível 1

Calma, segundo a lei de Smurf Murphy, a coisa podia piorar. E piorou. Começa a fase das desculpas esfarrapadas.

 

seção desculpas ridículas tem início

Hoje de manhã, foi a gota d’água, quando o caldo entornou e minha paciência atingiu seu limite e minha inércia foi pras cucuias. Sabe por quê? Por isto.

paciência tem limite, a minha então...

Eis minha resposta, na íntegra:

Bom dia,

eu recebi essa mesma mensagem no dia 1º de junho e hoje, 15 dias depois, sou contactado dizendo que vocês vão abrir outra ocorrência para verificar o que está acontecendo? E a primeira ocorrência, o que foi feita dela? OU não foi feito nada?

Minha paciência já se esgotou. Vou começar a tomar outras medidas para tentar sanar a incompetência de seu setor de entregas, bem como sua indolência em me manter informado do que está sendo efetivamente realizado para resolver a situação.

Minha atitude agora será demonstrar aos seus futuros e potenciais clientes que a Insinuante.com não é digna de confiança por parte dos clientes virtuais, que não cumpre prazos e, pior, não dá satisfação a contento do que de fato ocorre. Vou procurar um canal de bastante visibilidade e expor essa face oculta da Insinuante.com para atingir vocês onde mais dói: no bolso. No bolso e no Balanço.

E começarei agora mesmo. Vocês já tiveram tempo suficiente para resolver não só o meu problema, mas até 2 problemas se houvesse boa vontade. Agora, vamos inverter o quadro: eu vou causar problemas para vocês. Com isso, aprendi uma importante lição: não comprar mais da Insinuante.com, e vocês terão que aprender a vender melhor. Vender com mais competência, com mais seriedade, com mais respeito ao consumidor e com mais transparência. Como não aprenderam, faltaram às aulas ou não quiseram aprender, essa lição vai custar bem caro a vocês.

Eu poderia dizer que vocês não perdem por esperar, mas eu estaria iludindo vocês, porque vocês vão perder, sim, e muito, em esperar que as coisas se resolvam por si mesmas. Eu perdi por esperar, mas vocês vão perder muito mais pela espera absurda que me fizeram engolir.

Não tenho ilusões de que esta simples mensagem vai chegar a alguém que realmente decida alguma coisa, mas quando as consequências desta situação se fizerem conhecidas e se procurarem os culpados pelo acontecido, tenho certeza de que vai sobrar para alguém.

Como a coisa costuma sempre arrebentar do lado mais fraco, você, simples funcionário que não pode resolver meu problema e nem decidir nada, provavelmente será nas suas costas que a culpa será jogada. Se você não tiver um currículo pronto, aconselho a preparar um, porque vão querer colocar a culpa em alguém, e esse alguém, provavelmente será você, que é a lógica de um departamento onde estão presentes vários problemas e que não são resolvidos. Se não são resolvidos, a culpa é de quem tem o poder para fazer isso, mas não faz. E quando a bomba explode, essa pessoa irresponsável que responde pelo setor sempre procura alguém para quem transferir a culpa.

Ainda não passou a minha raiva e indignação, mas vai passar. Só que o prejuízo que a Insinuante.com terá com esse episódio vai ficar marcado aí. Vai ficar marcado nesse setor, vai ficar marcado no relatório de vendas, vai ficar marcado no balanço e, quem sabe, vai ficar marcado na pauta da reunião como um erro a não ser repetido, não por conta do respeito ao consumidor, mas por conta do prejuízo que ele pode vir a causar.

Se vocês não sabem o que é respeito ao consumidor, se não aprenderam a respeitar o cliente, eu vou ensinar vocês outra coisa: a temer o cliente. Cliente que não é respeitado hoje, será temido amanhã. Mas eu não vou dar essa lição de graça para vocês, não senhores. Vou cobrar, e caro por ela. Vou cobrar não só o valor que eu JÁ paguei pelo produto que vocês não entregaram. Vou cobrar pelo tempo que vocês me deixaram esperando. Vou cobrar pelas respostas evasivas e imprecisas.

Já que vocês não souberam me tratar com a dignidade e o respeito que meu dinheiro – que vai para seus cofres e figura em seu balanço de lucros – merece, já que ele não está sendo valorizado, eu vou colocar ele em outro lugar, o lado do prejuízo, se isso servir para chamar a atenção de vocês. Já que a cor azul do lucro do meu suado dinheirinho não chamou a atenção de vocês, eu vou mudar a cor dele para vermelho. Quem sabe assim vocês se dão conta e parem um pouco para pensar? Muitos clientes verão a luz amarela se acender para eles depois que lerem este relato.

De um consumidor indignado, revoltado com o descaso. Fui tratado com desdém, agora nem com pão-de-ló vocês vão me acalmar. E que isso sirva de lição pedagógica para a Insinuante.com: tratar cliente com descaso é prejuízo líquido e certo. Espero que aprendam a lição. Todavia, se não aprenderem, nós, clientes, não vamos precisar aturar vocês por muito tempo não. Lojas online vêm e vão, como vocês devem bem saber, e com vocês não será diferente. Eu paguei pra ver se vocês eram uma loja séria, que cumpria prazos e compromissos. Saí no prejuízo. Agora vou compartilhar esse prejuízo não com vocês, mas com o mundo.

Parabéns, você conseguiram me tirar da inércia de esperar sentado uma solução. Agora, é bom se mexerem e fazerem algo decente, se não quiserem que seu lucro entre em uma espiral descendente.

Wallace.

Agora, caro leitor, me responda com sinceridade: eu estou errado? O pior de tudo é que acho que errei sim. Errei em confiar na  Estressante.com Insinuante.com. Errei em esperar que eles me tratassem com respeito. Errei em esperar que eles solucionariam a contento um erro grasso e grave da parte deles. Errei, principalmente, em comprar lá. Erro que não vai se repetir.

Se você mora no Nordeste, aconselho a pensar 2x antes de comprar na Estressante.com Insinuante.com. Pelo menos até eles melhorarem o serviço de entrega e de reclamações. Claro, se você tiver mais paciência e bag para encher, tudo bem.

Blog Desafiando Limites no auge da indignação. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

#prontofalei

ps. infelizmente, só vim consultar o site Reclame Aqui agora (estou aceitando cabresto e cangalha como presente). Se tivesse feito antes, não teria comprado. Duvida? Então, veja por si mesmo (cuidado, imagens fortes).

ps². se souber de alguma vítima pessoa que esteja pensando em comprar na Estressante.com, avise-a antes.

Reflexões sobre perdas e ganhos

direita, esquerda ou volver? escolha direito, tá?

Reflexões sobre perdas e ganhos

Hoje mesmo falei disso: perdoar e pedir perdão é [são] uma das coisas mais difíceis do cristianismo. Meditando nisso também, verifico que todos os pretensos deuses e seus adoradores alegam que seu deus também pode tudo (onipotente), mas o nosso Deus, o Deus cristão, é o único que pode perdoar pecados.

Não existe outro Deus que perdoe como o nosso, deve ser porque Ele nos ama como ninguém. Não que eu mereça, claro. Perdoar é fácil, até o momento em que você tem que perdoar. Pedir perdão é simples, desde que não seja você que tenha que se humilhar e se rebaixar. Saber perder, taí uma coisa que é difícil de engolir…

Crente que é crente sabe perder e perdoar.

Há um engano muito grande, quando se diz que o crente é um vencedor, que não passará por problemas, que tudo para ele é possível e que todos os seus inimigos serão abatidos e derrotados. Esse discurso herético tem levado muitas pessoas a se frustrarem com Deus, desistirem de Cristo e desacreditarem na sua Palavra, pois, não receberam aquilo que “eles entendem” que Deus prometeu.

O perder e o perdão fazem parte da vida diária do crente.

Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará. Marcos 8:35

Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão. Mateus 18:35

O perdão, nada mais é do que abrir mão do direito de receber algo que lhe é devido e deixar o devedor livre da dívida e da merecida condenação. Perdão é perder para ganhar a vida eterna. A mensagem de que o crente não perde porque é filho do Rei, que não leva desaforo pra casa, que seu futuro na terra está garantido, tem levado muitos a acreditarem numa vida fácil e tranqüila.

Nem percebem, quando nos louvores, se emocionam e cantam mentiras, pois cantam afirmações que não vivem e nem estão dispostos a viver, como por exemplo, a bela e teologicamente correta canção do Fernandinho, inspirada no livro de Habacuque:

Ainda Que A Figueira
Tu és a minha porção
Tu és a minha herança
Tu és o meu socorro
Nos dias de tribulação
Mesmo que meus pais me deixem
Mesmo que amigos me traiam
Eu sei que em seus braços
Eu encontro salvação

Ainda que a figueira não floresça
Ainda que a videira não dê o seu fruto
Mesmo que não haja alimento nos campos
Eu me alegrarei em Ti

Observe o contraste dessa música cantada por muitos, mas vivida por poucos.

Quantos, dos que já louvaram a Deus com essa música, estão de fato, dispostos a se alegrar quando faltar carro, casa, fruto na figueira, salário no bolso, pão na mesa, vida boa e saudável? É só aparecer um probleminha financeiro para deixar a tristeza tomar conta e correr para o culto dos “consumidores evangélicos”, composto pelos desesperados por bênçãos materiais, os quais, não medem esforços e ofertas para adquirir um tesouro aqui na terra de forma rápida e fácil.

Os sinais e maravilhas apresentam e demonstram o poder de Deus. Buscamos isso até para aumentar a nossa fé. Os milagres além de atrair multidões, são um excelente alicerce para que a mensagem central da bíblia seja pregada com poder e unção. Todos nós desejamos, oramos e buscamos milagres, curas, livramentos e provisões sobrenaturais; que da parte de Deus nos são enviadas. Jesus mesmo nos ensinou a pedir ao pai o pão nosso de cada dia. Mas a mensagem principal, que deve ser suficiente para nos encher de alegria e esperança, nos mantendo firmes na rocha, é que:

“Pela graça fomos salvos, não vem de nós, é dom de Deus.” (Ef 2.8); e que,

“(…) os nossos pecados foram perdoados, graças ao nome de Jesus.” (1Jo 2.12).

Em Cristo, nossos pecados foram perdoados! Isto é extraordinário e maravilhoso! Estávamos indo merecidamente para o inferno, e agora, estamos indo imerecidamente para o céu. Cristo nos comprou. Se isto não for suficiente para nos motivar, nos dar alegria e esperança, algo de errado está ocorrendo com a nossa fé. No mínimo, precisamos ler mais a Bíblia.

Não somos vencedores porque alcançamos alguma vitória nesse mundo, através de nosso esforço ou até mesmo pela graça de Deus. Somos “mais do que vencedores” porque deixamos de viver uma vitória pessoal, para vencermos a morte pelo mérito de Cristo e, com Ele, desfrutar da vida terrena e da vida eterna que Ele tem para nós.

Ele me respondeu, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos. Zacarias 4:6

Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu. João 3:27

Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Romanos 8:37

Portanto, somos mais do que vencedores em Cristo. E é bom ler os versículos anteriores a Romanos 8.37, para sabermos sobre o que somos mais do que vencedores. Lá nos diz que somos mais do que vencedores sobre as perseguições, tribulações, angústias, fome, nudez, perigos, espadas e outras provas como estas, que atingem a todos os crentes.

De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. 2 Timóteo 3:12

Como diz uma das músicas do Diante do Trono: “Ainda existe uma cruz, pra você carregar. Não se deixe enganar, a porta é estreita. O caminho é árduo…”

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Lucas 9:23

Autor: José Luís Ribeiro (recebi via email, do grupo Pés Formosos)

Divulgação: blog Desafiando Limites

tag: ganhos, perdas, derrotas, vitórias, perdão.

Já fizeram de você uma escada?

sim, eu sei, é muito difícil suportar o pé dos outros...

Mas, sabia que existe outra maneira de encarar isso? Que você pode encarar a “escada” de uma forma produtiva e deixar os traumas e amarguras para trás? Duvida?

Assista.

Sabe como você pode passar a ver a escada humana da imagem lá de cima?

Assim ó:

um por todos e todos por um

Mirtes me enviou por email – o vídeo -, e logo me veio à mente, lógico, para Desafiar Limites.

Pastor é preso acusado de pecado! Vixe…

Do Grupo Regional, veio a preocupante notícia:

dois pesos e duas medidas, coisa antiga, mas que se recusa a sair de moda...

Dois pesos e duas medidas, uns e outras são abomináveis ao SENHOR“.

Provérbios 20.10

Um pregador britânico foi preso depois de ter dito durante sermão na rua que homossexualidade é um pecado.

Dale McAlpine foi acusado de causar “alarme, intimidação e angústia” depois que um policial comunitário ouviu o pastor batista mencionar vários “pecados” citados na Bíblia, inclusive blasfêmia, embriaguez e relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo, de acordo com o jornal britânico The Daily Telegraph.

Dale McAlpine, 42 anos, prega nas ruas de Wokington, na região de Cumbria, no noroeste da Inglaterra há anos, e disse que não mencionou homossexualismo quando fazia o sermão do alto de uma pequena escada, mas admitiu ter dito a uma pessoa que passava que acreditava que a prática era contrária aos ensinamentos de Deus.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, o policial Sam Adams identificou-se como o agente de ligação entre a polícia e a comunidade gay e transsexual e avisou o pregador, que distribuía folhetos e conversava com as pessoas nas ruas, que ele estava violando a lei. Mas ele continuou pregando e foi levado para a prisão, onde permaneceu por sete horas.

O pregador disse que o incidente foi “humilhante”, segundo o Daily Telegraph. “Eu me sinto profundamente chocado e humilhado por ter sido preso em minha própria cidade e tratado como um criminoso comum na frente de pessoas que eu conheço.”

“Minha liberdade foi tolhida por rumores vindos de alguém que não gostou do que eu disse, e fui acusado usando-se uma lei que não se aplica”, afirmou Dale.

O processo contra McAlpine por supostas declarações públicas contra gays ocorre semanas depois que um juiz britânico disse que não há proteção especial na lei para crenças cristãs.

O juiz decidiu favoravelmente a uma organização que demitiu um terapeuta de casais por se recusar a atender casais gays alegando que isso seria contra seus princípios cristãos.

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4411471-EI8142,00-Pregador+e+preso+por+dizer+que+homossexualismo+e+pecado.html

meus comentários: era só o que faltava… tinha que ser coisa pra inglês ver mesmo!