O filme Nosso Lar tem sido um sucesso estrondoso, num país de pouca produção e projeção cinematográfica local.

De fato, a produção reveste-se de uma grandiosidade de causar inveja a outras produções contemporâneas. A fórmula de fazer filme baseado em livro de romance/ficção que fez sucesso já é manjada, mas não deixa de ser vitoriosa, pelo menos até enquanto essa fórmula não se esgotar.

Como não assisti o filme, nem tenho pretensão de fazê-lo, vou declinar em fazer uma análise da obra, e meu questionamento se dará, basicamente em relação à foto de divulgação do filme:

Banner de divulgação

Meu questionamento é simples:

por que, ora bolas, a cidade celeste tem a forma que lembra um pentagrama invertido?

Compare com um pentagrama e veja se não parece mesmo:

Há vários significados para ele… quase todos esotéricos

Por questão de honestidade, é preciso reconhecer que o que está no banner de divulgação NÃO é um pentagrama exato, é um HEXAGRAMA (estrela de 6 pontas, tal como vista na bandeira de Israel). Entretanto, a 6ª ponta é sutil, quase imperceptível, ficando em evidência as pontas que formam o pentagrama.

Sem querer fazer mais ilações, apenas a curiosidade mesmo, veja uma imagem [pessimamente] editada do banner e outra de um ritual no filme 9 – the salvation, que já abordamos um pouco aqui.

Percebe como pentagrama pode ser facilmente visualizado?

Divulgação

A fogueira iniciou-se no centro. Consegue perceber a semelhança?

Agora, por que me posiciono contrário à doutrina espírita? Simples:

Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? Isaías 8:19

Veja que diferença há entre essa cidade (“Nosso Lar”) e a Jerusalém Celestial:

Ele me levou no Espírito a um grande e alto monte e mostrou-me a Cidade Santa, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus. Ela resplandecia com a glória de Deus, e o seu brilho era como o de uma jóia muito preciosa, como jaspe, clara como cristal. Tinha uma grande e alta muralha com doze portas e doze anjos junto às portas. Nas portas estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel. Havia três portas ao oriente, três ao norte, três ao sul e três ao ocidente. A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e neles estavam os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. O anjo que falava comigo tinha como medida uma vara feita de ouro, para medir a cidade, suas portas e seus muros. A cidade era quadrangular, de comprimento e largura iguais. Ele mediu a cidade com a vara; tinha dois mil e duzentos quilômetros de comprimento; a largura e a altura eram iguais ao comprimento. Apoc 21. 10-16

E você, qual cidade vai escolher para passar a eternidade?

Mais um post tentando criar reflexões úteis aos leitores, aqui no blog Desafiando Limites.

Se gostar, clique em Gostei, para que o post saia na lista dos mais votados, ou comente o que achou, elogiando, sugerindo ou criticando.

E curta nossa página no Facebook: Desafiando Limites!

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!