Por que publicar conteúdo cristão na web?

alienado

quem controla quem?

Por que publicar conteúdo cristão na web?

A Revista Exame, na edição 978 de 20/10/2010, lançou a reportagem de capa intitulada “A classe C cai na rede” e mostrou, dentre outras coisas, que a internet representava – já em 2010 -, a terceira maior fonte de informações e de formação de opinião, atrás somente da TV e do famoso boca-a-boca. Mas, não é apenas a classe C que está a cada dia descobrindo a Web, não senhor. Outro estudo aponta que as classes D e E também estão mergulhando fundo nas ondas virtuais.

Isso significa, em rápidas palavras, que o percentual de pessoas que está tendo acesso e se informando e formando sua opinião por meio da internet está aumentando a cada dia. São pessoas cada vez mais ávidas por saber das últimas novidades, manter-se informados sobre o que acontece no mundo e fazendo jus à conhecida expressão “aldeia global“, ou seja, encurtando distâncias e aproximando pessoas. Ok, ok, nem sempre… mas, tá valendo.

Como qualquer um sabe, as ondas virtuais contém muita coisa boa, mas também todo tipo de sujeira e imundície, e as pessoas são aquilo que elas comem. Se comem lixo, serão lixo. Mas, se comem comida saudável, serão pessoas saudáveis. E a Bíblia pode ser uma boa fonte de proteínas, carboidratos e energia cultural para muitos navegantes errantes. Como já dizia o poeta: “Navegar é preciso. Viver não é preciso“. Mas, é preciso fornecer às pessoas bom conteúdo, e nós temos isso de sobra.

Outro relevante motivo para inundar as praias virtuais de mensagens de conforto e motivação é que devemos marcar posição e demarcar território. Calma, não vá sair fazendo xixi em computadores e monitores alheios, afinal você é ovelha e não cachorro, né! Outro dia, um famoso #NOT músico chamou os internautas cristãos de pragas. Quando li aquilo, fiquei indignado e pensei em escrever alguma coisa sobre o fato, mas acabei deixando pra lá. Todavia, pensando melhor, vi que ele tinha razão: nós somos pragas mesmo!

Sabe por quê? Porque as pragas do Egito foram mandadas por Deus, e serviram para libertar o povo do cativeiro e das garras de faraó. É Zeca, você não sabe, mas Deus usou você para falar a verdade, tal como usou a jumenta de Balaão para repreender o profeta ambicioso. Você é um jumento, Zeca. Um jumento batizado falante que falou a verdade quando nos chamou de pragas. Então ficamos assim, Zeca: eu sou uma praga e você é um jumento, combinado? Não acredita em Deus e ainda se orgulha disso… é um jerico mesmo! risos

clamando

blogueiros cristãos: uni-vos!

Bem, agora que já demonstrei a necessidade de se postar conteúdo cristão na net – pois quem não é visto não é lembrado -, vou fazer e responder a 3 perguntas importantes sobre o assunto: O que deve ser feito? Como devemos fazer isso? E, por fim: O que podemos esperar agindo assim? Você, caro blogueiro cristão, tem a responsabilidade de clamar no deserto nas ondas virtuais. Se você não fizer isso, as pedras clamarão. Então clame!

1. O que deve ser feito?

Em primeiro lugar, devemos ocupar espaços. Sim, estou falando da demarcação de territórios (mas sem o xixi profético… risos). De certa forma, já fazemos isso, e até bem por sinal. A UBE está aí para provar isso, tanto pelo blog como pela pujante comunidade que é gerida pelos abnegados administradores Eliseu, Wilma, Valmir, entre outros mais. Além disso, existe a Associação de Blogueiros Cristãos, gerida pelo nobre amigo e irmão em Cristo a quem muito admiro, o famoso Robinson João Cruzué, do excelente blog Olhar Cristão.

Também lançamos o UBE Testemunhos, para preencher as lacunas de publicações de testemunhos de conversão, uma das maiores formas de impactar aqueles que ainda não conhecem o sublime amor do Senhor, e podem vê-lo  de forma concreta naquelas vidas que foram transformadas. Mas, ainda há espaço para se fazer mais e melhor, e certamente você cabe nesse espaço ainda não ocupado.

Devemos, ainda, propagar a ética e filosofia cristã, como forma de mostrarmos ao mundo o que pensamos e a forma como pensamos o mundo, ou seja, nossa forma de ver o mundo, que se traduz em cosmovisão cristã. Nesse quesito, parabenizo meu amigo, irmão em Cristo e colega de mouse, o Valmir Nascimento, do blog E Agora, Como Viveremos? Além disso, ele ainda tem uma excelente coluna na CPADNews. E você, o que anda fazendo para tornar conhecida a cosmovisão cristã ao mundo?

Mas, para que consigamos alcançar bons resultados no que pretendemos, precisamos fazer bem feito aquilo que estamos projetando. Para ajudá-lo nessa caminhada, recomendo ler os seguintes blogs: Curso de Blogs (nível iniciante), Ferramentas Blog (nível intermediário, e recomendo o e-book “40 dias para Salvar seu Blog“) e, por fim, a EscolaWorpress (nível avançado). Existem vários outros, mas pode começar por esses. Eu também gosto de ler os textos do Paulo Faustino, da EscolaDinheiro, pois ele sempre posta artigos interessantes sobre como blogar de maneira inteligente e atrativa aos leitores. Sim, é verdade… ainda não aprendi a escrever de maneira inteligente e atrativa aos leitores, mas um dia eu chego lá (risos).

Agora que você já sabe o que fazer, que tal refletirmos agora em como devemos fazer?

2. Como devemos fazer isso?

Saber o que deve ser feito não é tão importante do que saber como fazer o que deve ser feito. Para a primeira tarefa, basta ficar convencido que algo precisa ser feito, mas para a segunda, é necessário ter disposição para arregaçar as mangas e colocar a mão na massa. Se você está no time dos dispostos a pegar no pesado, deixe-me dizer-lhe como se deve fazer.

  • produza conteúdo de qualidade: as pessoas podem até não gostar da forma ou do que você escreve, mas se for bem escrito, bem elaborado, bem pesquisado, elas vão ler até por curiosidade. Mesmo quem discordar de você, se seus textos forem textos de qualidade, vai respeitar e considerar o que você tem a dizer. Invista em sua formação literária para escrever bons textos, não apenas no quesito opinião, mas também no quesito gramática, o bom e velho Português;
  • seja coerente e isento: todo mundo tem opinião formada (ou sendo formada) sobre alguma coisa, e muitas pessoas terão opiniões diferentes das suas e discordarão do seu modo de pensar #fato. Mas, assim como ter conteúdo de qualidade, uma coisa que seus leitores vão respeitar e admirar em você é a coerência. Ser coerente quer dizer que as pessoas sabem que sua opinião está de acordo com o que você acredita, e você pode demonstrar de forma sensata porque acredita dessa forma. A isenção pode ser definida (by wally… risos) como a capacidade de você não querer esconder a sujeira embaixo do tapete, sem corporativismo ou fisiologismo (políticos – argh!);
  • seja autêntico, original e convicto: autenticidade é a capacidade de você ser quem você é de verdade (doh!), ou seja, que você não está tentando ser quem NÃO é. A originalidade na blogosfera cristã significa que você deve se esforçar para produzir seus próprios textos, suas histórias ao invés de ficar somente xerocando as idéias dos outros! E, finalmente, ser convicto não é a mesma coisa que ser convincente. Ser convicto é você ter certeza de que está fazendo a coisa certa, mesmo sob críticas e oposição. A convicção pessoal também envolve um certo ar visionário, de quem consegue enxergar o futuro antes dele acontecer. É ser profeta virtual.

Ok, descobrimos como fazer aquilo que deve ser feito. O que mais falta? Pensar se vale a pena esse esforço todo.

3. O que podemos esperar agindo assim?

Em princípio, podemos esperar 3 coisas acontecerem, em maior ou menor grau, com maior ou menor rapidez, embora você deva ter em mente que está escrevendo não para a atualidade nem para a modernidade, mas para a posteridade e, quem sabe, para a eternidade. Portanto, não desanime e comece logo a dedilhar esse teclado e colocar esse mouse para trabalhar, ok? Os acontecimentos listados estão na sequência lógica de ocorrência.

a) a ética e moral cristã será conhecida: mas, para ser conhecida, é necessário que ela seja propagada, tal como fazia João Batista, ainda que pregando no deserto. Quando Paulo pergunta “como crerão, se não há quem pregue?” ele está dizendo, em outras palavras, que o cristianismo não é para ser vivido entre 4 paredes ou em ritos particulares, é uma boa nova a ser compartilhada, anunciada e disseminada… quase como uma praga (risos). Incomode, mas falando daquilo que interessa e liberta para a eternidade.

b) a ética e moral cristã será considerada: após ser conhecida, e bem conhecida (anunciada de forma correta e eficaz), a ética cristã começará a ser considerada como opção no mercado das idéias. Quer um exemplo? Quando o famigerado PLC122 – também conhecido como “Mordaça Gay” estava sendo costurado nas entranhas do inferno Congresso, poucos se opunham a ele. Mas, a oposição constante e destemida de muitos cristãos, que conseguiram enxergar naquele projeto uma manobra para calar os críticos, começou a fazer marolas e, de tanto ser repetida e defendida com ousadia e bons argumentos, chamou a atenção da sociedade. Eu me lembro de uma canção antiga que dizia “Querem calar nossa voz“, e parece que a música não é só atual, mas também profética.

c) a ética e mora cristã será respeitada: depois de ser conhecida e considerada, se for bem defendida, a ética cristã galgará espaços até ser respeitada como visão de mundo válida (falo de cosmovisão, certo Valmir?  =¬). Eu me recordo que, certa vez, após concluir meu curso universitário, me deu uma vontade louca ou louca vontade, não sei, de ir no Centro de Ciências Biológicas da UFRN, onde já havia estudado, e distribuir, gratuitamente, artigos que defendiam o ponto de vista criacionista em desfavor do evolucionismo. Não, eu não apanhei, mas quase… um energúmeno quis me chutar pelas costas, mas quando me virei, enfiou o rabo entre as pernas e saiu de fininho. Se teve algum resultado? Sinceramente, não sei… mas, não me arrependo, e mesmo que apenas uma pessoa tenha sido alcançada pela graça do Senhor, já terá valido a pena. E você, o que faz para que o evangelho seja respeitado?

Conclusão

A UBE blogs é um bom exemplo de que não estamos figurando apenas como expectadores, ou seja, como passageiros nesse trem. Já embarcamos, graças a Deus não perdemos o trem da história e, verdade seja dita, credito boa parte desse sucesso à figura do irmão Robinson Cruzué (o descobridor dos 7 mares gospel… risos), que há muito tempo bate nessa tecla. Eu posso me considerar um “discípulo” virtual do blog Olhar Cristão, se é que posso me dar a esse atrevimento.

Entretanto, por mais que eu me orgulhe de fazer parte desse movimento pujante que é a blogosfera cristã, repleta de blogueiros talentosos e articulados, que já começa a incomodar os orelhudos de plantão (não, não estou falando do Pernalonga… “que é que há, velhinho?”), ainda há um longo caminho a percorrer.

Amado leitor, nós, blogueiros cristãos,  não fomos chamados para ser cauda, mas chamados para proclamar uma mensagem que deve ter a primazia merecida: anunciar a Palavra de Deus. Não podemos nos acomodar em ser figurantes, mas procurar ser protagonistas, ainda que isso incomode alguém. Veja bem, meu blog ainda não tem 2 anos desde que comecei a me dedicar a escrever para externar minhas fantasiosas elucubrações, e é um blog bem marrom (marromeno… risos), e não ouso me comparar a alguns ilustres colegas, pois sei de minhas limitações, mas sei que algo precisa ser feito, e alguém tem de fazê-lo. Enquanto os melhores do que eu não quiserem botar a mão no teclado, eu vou fazendo. Capengando, sim, mas vou fazendo até aparecer alguém que faça melhor do que eu, para glória de Deus.

Meu irmão, não se iluda: Nossa mensagem incomoda mesmo, e ser blogueiro cristão é coisa de macho (embora também tenha mulheres paraibanas-macho-sim-senhor, né Wilma?) e destemido. Manter um blog cristão é quase como um ministério: tem suas dores, mas também tem seus prazeres, que é sentir a satisfação de estar fazendo algo relevante para o Senhor. Podemos ser perseguidos, caluniados, até mesmo chamados de pragas, mas devemos obedecer a Deus e não aos homens. Pense nisso antes de ficar só mexendo o mouse para lá e para cá, sem coragem de mergulhar nesse rio e “dar a cara a tapa“.

Postou wally, do blog Desafiando Limites, remando contra a maré, mas convicto de que é o certo a se fazer…

Se gostar, não esqueça de avaliar, comentar e esparramar na net, hein! risos

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!

Wallace

Just another little servant of the Lord Jesus Christ. Apenas mais um pequeno servo do Senhor Jesus Cristo. Editor do blog Desafiando Limites (http://wallysou.com). Crítico do cristianismo evangélico da prosperidade e pensador cristão amador.

Website: http://wallysou.com/

Faça seu comentário e enriqueça o post!

6 Comentários

  1. Luis Ribeiro

    …Se vai servir o comentário eu não sei,mas vamos lá… QUE DEUS CONTINUE LHES CAPACITANDO A CADA DIA A SEREM MAIS FELIZES NO QUE FAZEM, POIS MUITO ME EDIFICOU E IGUALMENTE ME MOTIVOU O VOSSO BLOG, embora eu esteja iniciando e ainda nem sei como fazer para criar o meu, quero um dia poder ser igual a vocês quando crescer… rsrsrs, já estão salvos em meus favoritos…. Deus abençoe a todos!!!

  2. Pingback: Vale a Pena Publicar Conteúdo Cristão na Web? - Desafiando Limites e Vencendo Barreiras at Desafiando Limites e Vencendo Barreiras

  3. Pingback: Quando olhar para a cruz nos faz acertar o alvo e viver em retidão... at Desafiando Limites e Vencendo Barreiras

  4. Pingback: A Ratoeira do Voto Ideológico Político-Partidário at Desafiando Limites e Vencendo Barreiras

  5. Pingback: Por que publicar conteúdo cristão na web? | E Agora, Como Viveremos?

Olá, agradecemos sua visita e seu comentário. Sua opinião enriquece a discussão e é importante para nós, obrigado!