Deixando o passado para trás

olhar-traseira-retorno

deixe o que passou para trás

Deixando o passado para trás

Estudando a lição 11 da CPAD para a EBD, deparei-me com este fragmento de texto, no final da conclusão da lição, ou seja, nos finalmentes do frigir dos ovos (risos): “vai-te em paz e não peques mais”, de João 8.11. Quero deter-me unicamente nessa pequena frase que requer complemento: Vai-te. E vou completá-la para você.

Sabe o que me chamou atenção nisso, nesse versículo aparentemente desprezado no meio de tantas coisas que ouvimos hoje em dia? É que encerram-se, nessa antiga frase de poucas palavras, valiosas lições para as pessoas de hoje, quais sejam:

1. Vai-te significa, em primeiro lugar, deixe seu passado para trás.

Você já parou para pensar na situação daquela mulher, e o estigma que ela iria carregar dali por diante? O de uma mulher adúltera, em meio a uma sociedade permeada pela hipocrisia, ela era a vítima perfeita para tapar o sol com a peneira, jogando uma cortina de fumaça para tentar ofuscar a decadência moral dos fariseus e outros eu‘s que viviam por lá.

Todavia, quando Jesus lhe disse “Vai-te“, Ele simplesmente disse “mulher, eu sei porque você foi apanhada, e porque foi trazida aqui, e como vão tratá-la daqui por diante, mas quero que saiba que perdoo você e, ao invés de carregar a cruz pesada dos fariseus, carregue meu fardo leve de perdão e amor”. Ela podia escolher entre ser conhecida como a adúltera dos fariseus e a perdoada por Jesus. E você, qual das opções escolheria? Deixaria o passado para trás ou seguiria carregando o ódio e desprezo dos outros nas costas?

2. Vai-te significa, em segundo lugar, avance.

desodorante-antigo

ok, apelei… mas você entendeu

Quantas pessoas há que têm se deixado levar pelas agruras da vida e parado no meio do caminho e, às vezes, no meio do Caminho também. Pode ser o seu caso, pode ser o caso de algum conhecido seu que, desfalecido pelo peso da culpa, sucumbiu no meio de seus projetos e caiu, desfalecido, à beira da estrada da vida.

Eu sei bem que não é fácil avançar, e até já escrevi um texto difícil, não tanto de escrever, mas de viver a experiência para, depois, contá-la. Você pensa que eu também já não desisti? Ledo engano o seu, já desisti sim, e como Davi, publiquei meu pecado em verso e prosa, para ser lido e discutido por quem quiser. Está difícil continuar carregando esse peso? Que tal deixá-lo ao pé da cruz e continuar em Seu Caminho?

3. Vai-te significa, em terceiro lugar, não pare.

Parece a repetição do anterior, não é mesmo? Mas, não é a repetição, e sim a continuação. Sabe por quê? Porque paramos aos poucos de avançar, até pararmos por completo. Desse modo, mesmo que você esteja caminhando lentamente, achando que não está saindo do lugar, não pare, continue. Respire, inspire, expire. Viva, enfim.

Essa é outra grande tentação que aflige as pessoas atualmente: parar. Se eu fosse uma pessoa renomada e diplomada, com a envergadura intelectual de um Mira y Lopez, que escreveu os 4 Gigantes da Alma, escreveria sobre As Grandes Tentações da Alma. Como cristão, tenho o medo sob rédeas, já que conheci o Amor e o Amor, quando invade nossos corações, a primeira providência que faz é expulsar o medo (1 João 4:18).

Você já deve ter ouvido aquela batida frase: “devagar e sempre”, não é mesmo? Pois vou bater, de novo, com ela em sua cabeça dura: Não pare! Entendeu ou quer que eu desenhe?

smart-design

entendeu ou quer que eu desenhe?

4. Vai-te significa, em quarto lugar, não desista.

Se você parar, mesmo sob a desculpa de “descansar, refazer as forças”, o primeiro sentimento que vai assaltá-lo será “Desista, você não vai a lugar nenhum mesmo! Você nunca foi ninguém na vida, por que quer mostrar pros outros o que não é? Jogue tudo pro alto e desista dessa idéia ridícula de que você vai vencer!”. Se você parar, vai acabar desistindo, justamente porque estará dando ouvidos a essas vozes que querem convencê-lo(a) de que não é capaz e que é perdedor(a).

Ora, se essas vozes que ficam buzinando esses excrementos em seu ouvido, confundindo-o com latrina, se essas vozes tivessem mesmo a certeza de que você é perdedor(a), por que ficar perdendo tempo tentando convencê-lo(a) disso, se o próprio tempo se encarregaria dessa missão, mais cedo ou mais tarde? Capice, caiu a ficha? Exatamente, essas vozes têm medo do seu sucesso, do seu êxito, e sabem que você tem potencial para chegar lá e, por isso, ficam a todo momento querendo derrubá-lo(a), deixá-lo(a) down, pra baixo, porque o seu esforço, o seu sucesso e sua atitude de não entregar os pontos as incomoda.

Não desista, pois se até os que dizem que você não vai conseguir acreditam que você pode, porque você não pode crer em seu próprio potencial para o sucesso?

5. Vai-te significa, em quinto e último lugar, siga em frente.

Mover-se não quer dizer que você está seguindo adiante, para frente. Pode ser que você tenha, simplesmente, desistido e decidido voltar atrás, ao invés de deixar o passado para trás, não é verdade? Sim, há muitas pessoas que desistiram, entregaram os pontos mas não estão paradas. Elas estão… voltando. Preste atenção no que vou lhe dizer agora: nós não sabemos ao certo onde é a linha de chegada, e ela pode estar mais próxima do que você pensa, logo após a próxima esquina, e você nem desconfia. Se você parar e desistir agora, nunca saberá se a próxima esquina lhe reservava uma agradável surpresa.

lets-go-ahead

Olhe para frente e deixe o passado para trás

Quando eu estava estudando para um concurso difícil (analista administrativo – MPU2006), senti-me tentado a parar, a jogar tudo pro alto e desistir… E em um certo dia, essa tentação bateu mais forte, quando eu me encontrava bem fragilizado, e cheguei mesmo a considerar abandonar a corrida pouco tempo antes de ela terminar. Naquele dia de provação insuportável, decidi que iria até o fim, desse o que desse, custasse o que custasse. Se aquele concurso era uma batalha, eu morreria como guerreiro: lutando.

Então, nesse mesmo tempo, alguém me enviou uma mensagem com o assunto “não desista“, e uma frase que me marcou foi: “você nunca sabe quão perto está da linha de chegada, se perto ou longe, e pode estar mais perto do que pensa. É nos momentos mais duros da batalha que devemos dar os golpes mais fortes. Não desista” (estou escrevendo de cabeça, ok? Mas, se quiser, pode lê-la no original clicando aqui).

Quer saber o resultado, se fiz a escolha certa? Continuei estudando, ainda que capengando, tropeçando e levantando, mas fui até o fim e fiz a prova. Quando o resultado foi anunciado, lá estava meu nome em primeiro lugar na lista local. Como se isso fosse pouco, tive o indescritível e honrado prazer em me ver entre os 5 primeiros colocados a nível nacional, para aquele cargo, aquele mesmo que eu pensei em desistir…

Quem sabe, caro leitor(a), você está lendo essas linhas movido pelo mesmo sentimento de impotência que me acometeu há 4 anos, e é um candidato em potencial a se tornar mais uma vítima do fracasso pelo simples fato de desistir ANTES de a batalha encerrar. Se você não tiver mais NENHUM motivo para seguir em frente e parar por aqui mesmo, estou lhe dando um.

Enxugue as lágrimas, engula esse nó da garganta e saiba: você não chegou aqui por acaso. Escrevi essas palavras pensando em você, e você sabe que elas têm destino certo: animar seu sofrido coração, e restaurar suas forças e lhe dar novo ânimo (vida). Sinta esse sopro de vida se derramando sobre você e levante-se dessa cadeira convicto de que é possível reverter esse quadro. Eu creio nisso, e você, por que não creria?

mouse-mission-impossible

o impossível pode se tornar possível para quem crer

Agora, quero lhe pedir um favor: sabe, eu escrevo por prazer e (ainda, porque não descobriram meu talento… risos) não ganho por isso. Então, às vezes, bate aquela desmotivação natural, que você deve conhecer bem, talvez em outro sentido, mas comigo é assim: “puxa, quase ninguém comenta, quase não tenho retorno, será que ninguém gosta, será que ninguém é beneficiado com o que escrevo?”.

Sim, eu também sou de carne e osso (hoje mais carne que osso, quando mais jovem, era mais osso do que carne, mais isso é outra história…). Já venci muitas batalhas, é verdade, mas não estou imune às provações, assim como você, eu também tenho meus dias de dúvidas, incertezas e angústias. E como você pode me ajudar a continuar escrevendo? Comentando, se REALMENTE gostou e se isso o ajudou, de alguma forma.

Bem, pode ser que as pessoas venham comentar dizendo que eu tenho que PARAR de escrever… risos. Mas, faz parte né? Então, se você conseguiu chegar até aqui, espero vê-lo nos comentários, certo?

Deus te abençoe.

Soli Deo gloria.

Desafiando os limites do fracasso, aqui no blog Desafiando Limites.

Gostou da mensagem, ela o ajudou? Peço, por favor, que avalie (Gostei, estrelas, curti, +1) ou comente.

E curta nossa página no Facebook: Desafiando Limites!