Não tenha medo da concorrência e das dificuldades

Não tenha medo da concorrência e das dificuldades

Porque uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários.

1 Coríntios 16:9

Leia também Neemias 4.1-9 para entender as lições apresentadas, bem como a sequência em que elas são exploradas.

susto
por que o susto?

Preciso confessar de onde veio a inspiração para escrever este post: eu estava na Escola Dominical da igreja Assembleia de Deus da cidade de Caxias do Sul/RS, visitando um amigo, em um passeio ferístico. Nessa manhã de domingo, seria estudada a 4ª lição do trimestre, cujo título era “Como enfrentar a oposição à obra de Deus”, da CPAD. Mas, não foi só essa.

Também me lembrei de minhas próprias experiências pessoais em alguns dos concursos que prestei, entre eles o do TRE-MT/2005 e o do DNIT2006, que me ensinaram grandes lições, e foi dessas lições que extraí a frase que estampa o post. Espero sinceramente que o que tenho para lhe dizer possa ser útil para lhe auxiliar a enfrentar, superar e vencer seus desafios e provas.

Nesses dois concursos eu passei por situações bastante antagônicas e únicas, e somente após olhar para o passado com um olhar crítico e clínico é que pude perceber o quanto essas experiências foram cruciais para fortalecer meu caráter e solidificar minhas convicções atuais de que a vitória é sempre possível. Apenas nós não sabemos qual o tempo exato em que ela se apresentará em nosso caminho.

Está preparado para empreender essa viagem ao meu lado? Pegue em minha mão e me acompanhe, você não vai se arrepender, garanto.

Lição nº 01: Não se assuste com o número de seus adversários

É possível que você já tenha ouvido falar da história de Gideão, autor de uma das maiores façanhas militares relatadas na Bíblia quando, com apenas 300 soldados (não, não me refiro aos 300 de Esparta… risos), enfrentou um grande exército inimigo e se saiu vitorioso, libertando seu povo. Essa história é tão fascinante que até mesmo estrategistas militares a leem com admiração e espanto.

No concurso do TRE-MT/2005, eu me vi diante de um grande desafio, pois quase 17.000 candidatos haviam se inscrito para as 60 vagas disponíveis. Vindo de um período de inércia e comodismo nos estudos que completava uma década(!), eu não estava nem um pouco confiante de que seria capaz de conquistar uma daquelas preciosas vagas. Sabe o que foi que aconteceu? O número das pessoas inscritas me deixou com medo e eu fracassei, vindo a cair num profundo desânimo.

Isso é muito comum, já pode ter acontecido com você, aconteceu com praticamente todas as pessoas que conheço que se prepararam para concursos e que, não raro, depois figuraram entre as primeiras colocações de importantes concursos Brasil afora. Eu tenho o privilégio de ter conhecido algumas pessoas que obtiveram resultados impressionantes, tais como Antônio Saraiva Jr, Graciano Rocha e Frederico Dias. Sabe o que tenho observado e aprendido com os vencedores? Que perder faz parte do jogo, e que aprendemos muito mais com as derrotas do que com as vitórias.

Já no concurso do DNIT2006 eu estava ciente de que minhas atitudes necessitavam ser diferentes, se eu quisesse obter um resultado diferente de minha investida anterior. Já não eram mais milhares de concorrentes, mas também não eram dezenas de vagas, mas apenas três. Na época do concurso do TRE-MT/2005 eu queria ser um dos concorrentes a preencher uma das vagas. Mas, no do DNIT2006 eu já sabia que queria uma das três vagas e os outros que brigassem pelas duas que estavam sobrando, já que eu precisava somente de uma (rá!). Ah sim, fiquei em 2º… risos

Um fato que me marcou foi um sonho que tive (eu sou muito sonhador…), em que me encontrava num local muito amplo e que estava afixada a relação de aprovados de um concurso, e meu nome estava entre os primeiros aprovados. No mesmo sonho, eu olhava novamente, mas em outra lista, e lá estava meu nome novamente. Detalhe: o concurso do DNIT2006 possuía várias fases, e os resultados saíam em etapas (prova objetiva, na qual fui 3º; prova discursiva, em 1º; e de títulos, onde a soma me deixou em segundo geral).

Depois dessa experiência, pude perceber que poderia ir mais longe se me dedicasse mais, e foi o que fiz quando estudei para o concurso do MPU2007, em que havia quase 700 inscritos e fiquei em 1º lugar no Mato Grosso e ainda 5º no Brasil, de quase 24.000 candidatos inscritos. Já no concurso da CGU2008, eram 6 vagas para todo o Brasil, na área que escolhi, e quase 1.500 candidatos se inscreveram. Fui o 3º. Mas, afinal, qual era o segredo do meu sucesso? Não ter medo do número dos concorrentes.

homer pânico
Não priemos cânico (Chapolin)

Lição nº 02: Não se intimide com as ameaças de seus adversários

Quem quer vencer na vida vai descobrir uma verdade cruel: tem gente torcendo para que você não consiga vencer. Inclusive, vão tentar lhe desestimular e desanimar. A intimidação por meio de ameaças é uma das formas mais eficazes. Mas, somente surtirá efeito se você se deixar intimidar. E como evitar cair na armadilha da intimidação? É tudo uma questão de atitudes, e você vai vencer se mantiver a postura de vencedor.

Quando eu havia prestado o concurso para a CGU2008, enfrentei uma situação parecida, onde ficou patente a tentativa de intimidação, e é com ela que vou ilustrar o que acabei de falar no parágrafo anterior. Por favor, preste atenção.

Após a saída do resultado provisório do concurso, nós discutíamos no Fórum Concurseiros vários assuntos e a data de saída do resultado final. Mas, como em todo concurso, sempre existe algo que marca e polemiza o certame, e o da CGU2008 não seria exceção. A polêmica dizia respeito a um endereço ambíguo que levou alguns candidatos a se perderem e outros a fazerem a prova em separado (se não me falha a fraca memória).

Assim, em um dos posts do fórum estávamos discutindo as coisas concernentes ao provável resultado, anulações, etc. Então um forista recentemente registrado começou a tocar o terror no fórum afirmando que o concurso seria anulado por causa daqueles pequenos problemas, e que o Ministério Público já estava atuando no caso e entrando com pedido de anulação.

Quando eu li aquilo, fiquei muito irado, mas pensei um pouco antes de postar a resposta ao indivíduo. Depois de me acalmar e tomar uma boa dose de sensatez, respondi mais ou menos nesses termos:

“olha, você pode até ter razão e o concurso ser anulado, mas quero te aconselhar a estudar, e estudar muito, porque você vai ter que enfrentar não só a mim, como a todos os que estudaram e se deram bem nessa prova, e você vai precisar de muita sorte, porque nós vamos botar pra quebrar de novo, e, se tivermos que fazer a prova novamente, faremos e vamos passar de novo, pode ficar tranquilo quanto a isso”.

O indivíduo sumiu, nunca mais deu o azar de sua desgraça, o concurso não foi anulado, nós passamos e… bem, nós passamos né! risos

Nunca se esqueça disso: aja como vencedor na prova para que, quando o resultado for anunciado, ninguém tenha dúvidas de que você está no lugar certo do podium. É aquela velha máxima: “a caravana passa e os cães ladram”.

Lição nº 03: Não tenha receio de enfrentar oposição

Muitas pessoas, ao verem as estatísticas da concorrência, desanimam e olham para esses números da mesma forma que uma criança olha para uma equação de 2º grau, sem saber o que fazer. Em outras palavras, sem saber nem pra onde apontar o bico da chuteira. Mas, não existiria uma outra forma de olhar para esses números sem querer doar os órgãos para diminuir a fila do SUS? Sim, existe.

Ok, gênio, diria você, e qual seria essa forma mirabolante de interpretar essa sopa indigesta de números? Na real, mano? Encare a oposição exercida pela concorrência como um incentivo para que você busque atingir seu máximo desempenho que, de outro modo, não faria sem que houvesse a pressão da concorrência.

Em cada concurso que prestei, sempre procurava saber qual era a relação candidato x vaga não para desanimar, mas para saber o quanto eu teria que turbinar meu desempenho para superar minhas limitações, que nunca foram poucas. Algo assim aconteceu quando eu estava estudando para o concurso do TRF1-2006, que exibia a módica quantidade de quase 1800 candidatos para um número incerto de vagas. No concurso anterior haviam chamado cerca de ½ dúzia de aprovados, um cenário nada animador.

Sabedor dessa concorrência brutal, eu tomei consciência de que meus esforços de então não seriam suficientes para atingir o nível de desempenho necessário para ter alguma chance de figurar entre os dez primeiros colocados e poder sonhar com uma possível nomeação no futuro. Como o cargo de analista em tribunais era um posto almejado naquela época, o nível de dificuldade seria, provavelmente, acima das expectativas mais conservadoras.

O que eu fiz para tentar sanar minhas limitações diante de um quadro tão negativo? Fiz uma análise fria e sensata de meu quadro de horários e descobri, desolado, que não havia mais espaço para ganhar horas adicionais de estudo. Todavia, olhando sob outro ângulo, observei que, se eu diminuísse minhas horas de sono(!), poderia ganhar 5 horas semanais a mais de estudo. Até este ponto, para ser sincero, não houve dificuldade alguma em planejar essa mudança. Difícil mesmo foi colocar em prática

Assim, seguindo o planejamento do novo quadro de horários, comecei a acordar mais cedo, para estudar ANTES de ir trabalhar. Como eu entrava às 7:30h da madruga, você deve imaginar a loucura que me propus fazer. Talvez você esteja até rindo da situação, mas calma, o pior ainda estava por vir: isso foi em fins de setembro, mas outubro estava chegando, e com ele… o famigerado horário de verão! #páratudo #agoralascou

Mas, por mais incrível que possa parecer (até mesmo para mim), consegui cumprir com meu compromisso de levantar às 5:30 da matina, mesmo em pleno horário de verão, tudo escuro, no período chuvoso (quando o sono é mais gostoso…), fazendo um frio de rachar, estudando na área de serviço, enrolado dos pés à cabeça com um cobertor para me proteger do vento frio, somente com os olhos de fora e, de vez em quando, as pontas dos dedos, usadas para virar as páginas dos livros. Foi como aquela propaganda antiga que dizia: “que dureza”!

Quer saber o final da história? Eu conto: acabei ficando em 5º lugar, uma boa colocação dadas as circunstâncias envolvidas e dificuldades que enfrentei. O tempo passou e até fui convocado para trabalhar nesse Tribunal em 2010, mas abri mão em favor de uma amiga concurseira (parabéns, Greice!), que ficou em sexto lugar, depois de mim. Claro, abri mão também por já estar trabalhando na CGU, desde 2008… risos

trabalho pesado
pegue no pesado!

Lição nº 04: Dedique-se de coração ao objetivo almejado

Estudar para concursos demanda um nível tal de dedicação, planejamento e investimento de tempo e recursos que põe à prova a convicção de qualquer um que esteja estudando para concursos (ou vestibular, escola militar, etc). As exigências são tantas e os resultados, na maioria das vezes, demoram a surgir que qualquer pessoa se sente tentada a jogar tudo para o alto e desistir.

O que fazer, então, para obter sucesso quando tantos falham? Comprometimento, essa é a palavra que vai separar o joio do trigo os vencedores dos perdedores, que vai peneirar os perseverantes dentre os inconstantes. No caso de Neemias, que utilizei como inspiração e ilustração para este post, ele conseguiu atingir um resultado considerado impossível por muitos, inclusive por seus adversários.

Mas, como se deu isso? A resposta é simples, e está no verso 6: “porque o coração do povo se inclinava a trabalhar”. Este é o segredo da vitória, da conquista de objetivos praticamente inatingíveis: dedicação. Em tudo o que você for fazer, você será bem-sucedido se houver dedicação. Negligência, por outro lado, é a garantia de fracasso, decepção e desilusão.

Quando eu estudava para concursos, enquanto eu não conseguisse atingir meu objetivo, eu não descansaria de tentar e nem iria parar com minha dedicação. Eu era tão dedicado a isso que, certa vez, minha esposa foi convidada a ir a um casamento e eu fiquei em casa… estudando. Perguntaram por mim na igreja, e ficaram espantados em ela dizer que eu havia ficado estudando. Não me rotularam de nada, pelo menos não publicamente… risos

Em outra feita, fomos passar o fim de ano no sítio de meus sogros e eu, claro, levei livros comigo. Armava uma rede em baixo de umas árvores, me deitava naquela aprazível sombra e estudava. Claro, também dava aquelas cochiladas básicas, afinal ninguém é de ferro né! Mas, estudava, na medida do possível.

Um dia, fomos à casa de meu cunhado, em um sítio vizinho, também em época de feriado. E lá ia eu com meus inseparáveis companheiros de labuta concurseira: os livros e apostilas. Meu sobrinho veio até mim questionar por que em pleno feriado eu estava de cara nos livros. Eu respondi que havia muitos concorrentes e que o salário valia a pena. Então ele me perguntou quanto era o salário. Quando eu lhe respondi, ele fez uma cara de espanto e disse: “então, tio, pode estudar à vontade que eu não vou perturbar mais”!

O segredo da dedicação é esse: você não pode querer obter resultados diferentes dos demais se não estiver fazendo diferente do que eles fazem. Nesse concurso, também por conta desses esforços extemporâneos, fiquei em primeiro (MPU2007) no estado, contrariando todas as minhas mais otimistas expectativas.

Houve um dia, em especial, que ficou marcado em minha mente. Eu já estava cansado de estudar. Sim, estudar também cansa. Se você encontrar alguém que diz que estuda e ele disse que estudar não cansa, pode ter certeza de que ou ele não estuda ou não está dizendo a verdade. Pode crer, estudar cansa, e não é pouco. E cansa algo que apenas uma boa noite de sono não resolve a parada: o cérebro. O cansaço mental é um dos piores, e você deve saber dosar seus esforços de modo que esteja preparado e descansado ao mesmo tempo! #ninja

Voltando. O dia marcante foi o dia em que senti o cansaço de tal forma que me senti tentado a desistir de estudar para esse concurso. A sensação de desânimo foi tão forte que me senti pressionado a parar e abandonar tudo. Nesse dia, vendo-me diante desse dilema terrível, tomei a decisão que mudou tudo. Eu disse assim para mim mesmo: “se este concurso for uma guerra, e eu tiver que morrer nele (ou seja, ser reprovado), eu vou morrer como um guerreiro, lutando. Eu vou até o fim, dê o que der, eu não vou desistir”! #assimquefoi

Isso aconteceu justamente quando eu estudava para o concurso do MPU2007, no qual fiquei em primeiro lugar no estado do Mato Grosso, e 5º colocado nacional, como já contei lá em cima. Já pensou se eu tivesse desistido? E você, se não desistir, onde você poderá chegar? Por que não tentar ir até o fim e ver o que pode acontecer?

Às vezes, algumas pessoas pensam que eu sou inteligente. Não sei porquê, pois nem inteligente eu pareço (risos). Minhas conquistas não são explicadas por eu ser mais ou menos inteligente do que ninguém, mas sim porque eu me dedicava muito e procurava suprir minhas deficiências por meio do esforço e da força de vontade. Ora, se eu, que não sou nem tão inteligente assim, consegui resultados extraordinários, quanto mais você que consegue ler e entender toda essa bobagem que escrevo sem precisar de intérprete? risos

Dedique-se, de coração, àquilo que você quer, e tenha paciência até conseguir realizar seus sonhos. Você consegue, sim, consegue. É só não desistir e seguir avante, até o fim.

Lição nº 05: Não subestime seus adversários nem baixe a guarda

Quando eu vejo o exemplo vitorioso de Neemias, atingindo resultados surpreendentes e inesperados, fico admirado em vê-lo assumindo uma postura de cautela, precavendo-se contra eventuais represálias. Sabe o que aprendo com isso? Muita coisa.

Primeiramente, que a vitória parcial não deve nos anestesiar a ponto de permitirmos que esqueçamos de nos proteger dos inimigos declarados. Segundamente (risos), que o seguro morreu de velho e, como dizia a avó de não-sei-quem, cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém. E, por fim, comemorar de verdade, somente após concluir o projeto por completo, porque existem pessoas que não ficam nem um pouco contentes com nossos êxitos.

Veja, muitos concursos pagam um salário que pode significar uma mudança radical de vida para boa parte da população, e algumas pessoas fariam quase tudo ou até mais do que podemos imaginar para conseguir uma vaga dessas. Elas se utilizam de golpes sujos e baixos para chegarem onde querem, e não se incomodam de passar por cima de quem quer que seja. Se você estiver no meio do caminho delas, é bom estar preparado para suportar a pancada.

Recentemente, assisti um filme que achei até divertido e emocionante em várias partes, e posso recomendar caso você queira ou tenha um tempo livre qualquer dia desses: Real Steel (Gigantes de Aço, 2011), com o famoso astro de Wolverine. Em uma parte do filme, bem no comecinho, ele age como um perfeito idiota (bem, ele age como um mané quase o filme todo… risos) e, com uma luta praticamente ganha, ele canta vitória antes do tempo e se dá mal, pra variar. #chupa

Também passei por uma experiência que me mostrou que existem pessoas com, como dizem por aí, espírito de porco, porco-espírito ou qualquer coisa dessa natureza. Desde o começo, sempre gostei de compartilhar materiais e dicas com os colegas. Em parte, porque eu também era beneficiado com ajuda de outros concurseiros, e nunca me furtei a ajudar quem me pedisse, se estivesse ao meu alcance.

Com esse pensamento em mente, reuni um material útil e interessante para quem estava iniciando seus estudos em concursos públicos. Na maior das boas vontades, coloquei esse material em um HD virtual e disponibilizei no fórum que eu frequentava, com a senha de acesso. O que eu não sabia era que a senha permitia controle total dos arquivos, e um dos que liam o tópico acessou o HD, provavelmente copiou para ele os arquivos e depois… apagou tudo. #pensenaraiva

Não foi uma perda irreparável, visto que eu ainda tinha os arquivos comigo e pude recolocar lá, e aprender a disponibilizar apenas como “leitura”, ou seja, quem quisesse poderia pegar, mas não apagar. Mas esse acontecimento me mostrou que eu precisava ser mais cauteloso e menos ingênuo, achando que todo mundo tem a mesma boa vontade para com todos, e deseja o bem para seus semelhantes. Infelizmente, existem pessoas que são verdadeiras pedras de tropeço para a convivência social harmônica, e tornam a vida dos outros um inferno em vida.

Mas, mesmo diante da decepção de descobrir a existência desses trolls, eu aprendi a lição, cresci com isso e me tornei mais esperto e desconfiado em certas situações, o que me livrou de situações embaraçosas e prejuízos no futuro. Estou lhe dizendo isso e sendo franco porque você pode estar enganado pensando que a vida é cor-de-rosa e não existem pessoas mal-intencionadas no mundo. Meu amigo, a vida é bela e vale a pena ser vivida, mas você tem que aprender a conviver com os espinhos que as rosas possuem.

Siga o exemplo de Neemias, meu caro, porque ele sabia o que estava fazendo e o que queria de sua vida e de seu futuro. Como diz um bom e velho deitado ditado nordestino: um olho no gato e outro no peixe! risos

UPDATE: eu estava viajando, de férias, afinal eu também sou gente, apesar de blogueiro (rá!), e descobri, indignado, que meu blog havia sido hackeado! E você quer saber qual foi o motivo? Porque eu resolvi disponibilizar – gratuitamente – dicas de estudos para quem estivesse estudando (concursos, vestibular, etc.).

Mas, graças a Deus, consegui resolver sem grandes perdas. Humanamente falando, foi sorte de principiante, mas eu também orei e coloquei diante do Senhor, pedindo que Ele me livrasse daquele dissabor e decepção. Você não faz idéia do alívio que foi recuperar tudo, sem muita dificuldade. Eu sei que vale a pena abençoar os outros, principalmente aqueles que têm poucas condições de obter dicas e textos motivacionais de forma gratuita. E não vou parar, pois eu quero um país melhor, e vou investir meus parcos recursos nesse sonho.

Conclusão

Minha amiga virtual, a Wilma Rejane, do excelente blog devocional A Tenda na Rocha, já cansou de me dizer que eu tenho um grande defeito (entre outros, claro… hehehe): eu escrevo muito. Bem, se isso fosse um elogio, escrever muito deveria significar “escrever bem”, mas como é um defeito, deve querer dizer “escrever muita coisa, coisa demais”.

É verdade, eu devo ter sido a inspiração daquela definição de “chato“: eu conto a história tin-tin por tin-tin, e ainda entro nos mínimos detalhes! Quando eu era criança, diziam que eu falava tanto que perguntavam se eu tinha tomado água de chocalho quando era criança (se não entendeu, pergunte! #ditadonordestino).

Se eu fosse um pregador, é quase certeza que minhas pregações seriam tachadas de “espada“. Não, não quer dizer aguda e penetrante, mas comprida e chata. Oh vida, oh azar…

Ciente disso, e de que você já deve estar de sacola cheia de ler minhas bobagens (isso se não pulou do começo logo para cá – ahá, te peguei!), vou fechar a conclusão com dicas rápidas, práticas e objetivas, ok?

  • Talvez você esteja, no momento, igual à cidade de Jerusalém, antes de Neemias começar aquela grande obra: arrasada, sem estrutura e derrubada. Sim, é possível que você esteja deprimido, down agora, sentindo-se totalmente sem estruturas para continuar e sem qualquer esperança de solução para seus problemas. Calma, respire fundo, e saiba que existe solução para seu problema, mesmo que você acredite que está tudo acabado. Coragem, assim como aconteceu com Jerusalém nas mãos de Neemias, ainda é possível reconstruir seu sonho e reerguer seu projeto. Coragem, você pode, tente!
  • Encare as dificuldades como uma oportunidade de se superar e conquistar aquilo que você imaginava impossível antes. Como sempre faço questão de frisar, não há dificuldade, por maior que seja, que resista à dose exata de dedicação e perseverança. Sim, existe receita para o sucesso: suor e lágrimas. Regue seu sucesso com lágrimas, antes e depois, e você vai ver como é gostoso! #agarantchu

Por fim, quero deixar o exemplo de alguém que ilustra perfeitamente tudo o que escrevi aqui: Maurren Maggi.

Maurren, no ano de 2003, foi suspensa pela federação de atletismo por um suposto dopping. Eu me lembro de vê-la sendo entrevistada e chorando desolada quando foi anunciado que ela ficaria longe das competições por um período de dois anos. Confesso que fiquei triste em ver aquela cena, sabendo que estavam tirando dela aquilo que, literalmente, a movia. A paixão de Maurren nem era tanto vencer, mas competir. E agora estava impedida de fazer aquilo que amava.

Mas, o tempo passou, a punição venceu e ela voltou a competir. Nos Jogos Panamericanos de 2007, no Rio de Janeiro, ela retornou às pistas e conquistou a medalha de ouro. E nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, ela foi a primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro inédita para o Brasil em modalidade individual de atletismo. Que virada, hein?

choro conquista
Chorar de alegria… é muito bom

Que isso possa lhe servir de exemplo e inspiração para superação de seus limites e dificuldades.

Sabe, durante um tempo eu pensava que, com o tempo, alguém descobriria meu talento literário e eu passaria a ganhar dinheiro com meus escritos. O tempo passou e ninguém apareceu… é, eu não tinha todo aquele talento que pensava que tinha (risos). Mas, quer saber, descobri que gosto mesmo é de escrever e motivar as pessoas a superarem suas limitações e vencerem seus desafios. É isso que me motiva e me satisfaz, e meu pagamento é ver você transformando seus sonhos em realidade.

Por favor, se ainda lhe restar algum fôlego de vida, avalie (coração, estrelas, curtir, +1, etc) o post ou então, deixe seu comentário PLEASE!!!!!!!! risos

E curta nossa página no Facebook: Desafiando Limites!

Deus lhe abençoe.

42 opiniões sobre “Não tenha medo da concorrência e das dificuldades”

  1. estava desmotivado para uma prova ao qual me escrevi, no entanto, ao ler sua matéria resolvi retornar aos estudos, muito obrigado e que DEUS continue lhe abençoando!

  2. A Paz do Senhor.!!! Quero t parabenizar por essas sabias palavras que vc compartilhou c/ muitos.Deus continue te abençoando e te concedendo ainda mais sabedoria e q Ele continue te usando.Não pare vá em frente, pois li essas palavras e ja esta me ajudando, concerteza ñ só na minha vida mais de muitos. ;)

  3. Este texto faz com que nossa visão seja ampliada. visão de servo de Deus, visão de aguia. Descobri este site através do a tenda na rocha e neste pouco tempo desta grande decoberta tenho sido muito abençoado. Deus os abençoe muito, pois tenho sido atravez deste canal de bençãos. Obrigado

  4. nossaaa..q texto bãooo.!!! me deu tanta coragem!! e eu vou agir assim agora com um postura de vencedor e estudar bastante( claro rsrs)..e vou voltar p declarar q passei na ufba nas primeiras posiçoes em nome de JESUS..amém?!! hehe..vc é uma bençao…amei de verdade ler este texto…aaaaaaa como é bom estar confiante!

  5. nosssaaaaaa!!! muito bãooo…no começo não queria ler..mas ao Espirito Santo me motivou a ler..E foi uma leitura tão, tão agradável ..chorei, ri..e fiquei muito muito motivada..vc é uma bençao..amei o blog obrigada viu?!me sinto confiante e escreve e lembre disso vou passar na ufba e nas primeiras posiçoes!!! e eu vou voltar aki e contar!!! amém?! aaaaaaa..como é bom está confiante!!

  6. Ameiii demais!!! Tudo isso me motiva mais e mais ,para que eu possa perseverar nós meus objetivos!!Deus abençoe poderosamente tua vida!!Hooo Glóriaa!!!

  7. Opa, valeu wallysou!

    Li toda a sua "baboseira" até o final (risos). Que nada cara, continue que seu blog é mt bom, ótimo texto! Acompanho o seu depoimento desde o forum dos concurseiros.

    Fé em Deus, dedicação e muito comprometimento!!!

  8. Desde o dia que uma querida amiga me falou deste site, tenho sido imensamente abençoada.Suas postagens tem me servido de inspiração em vários momentos.Por favor, não pare de escrever, também sou dos mínimos detalhes. Quando chego no final da leitrura, sempre fico c/ gostinho de quero mais.DEUS TE ABENÇÕE RICA E ABUNDAMENTE. Na fé.

  9. Também amei o texto, pois como eu sou um servo que não rejeita desafios na obra de Deus me identifiquei muito com o seu artigo.
    Eu gostaria de fazer mais na obra, mas como eu não sou um polvo e não sou o dono do tempo preciso gerir muito bem o meu tempo.
    Fique na Paz. Deus abenço o seu ministério!
    Irmão Ricardo – Aracaju

  10. Ou Wally,

    Escreves muito: Em quantidade, qualidade e intensidade. E o mais incrível é que apesar do "tamanhinho" do texto ao final dizemos: Ahhh acabou?

    Ô depois que passei a enxergar melhor, encontrei mais defeitos em tú, vice? Eu num tinha notado que pareces com Marcelo Serrado, aquele ator da globo? Plim, plim (risos) Isso é muito grave!

    Agora sem brincadeira, és uma benção meu irmão, obrigada por compartilhar esses textos que nos despertam a batalhar e alcançar.

    Felicidades, Deus o abençoe.

    1. desde que não seja o último personagem dessa novela, que nem assisto =), tá valendo…

      agora, se vc disser que eu pareço com o tal de Crô, nossa amizade acaba aqui… risos

      prefiro ser comparado a filhote de cruz-credo ao Crô!

      rá!

      ;¬)

Olá, agradecemos sua visita e seu comentário. Sua opinião é importante para nós, por isso queremos dizer: Muito Obrigado!