Grande foi o livramento que Deus me deu ontem

faca-churrascoGrande foi o livramento que Deus me deu ontem

Ontem, no horário do almoço, aconteceu algo que, na hora, nem dei muita atenção. Porém, em casa, refletindo melhor e analisando a situação, pude compreender a extensão da bênção e do livramento que Deus me deu.

Foi assim: era uma vez… ops, errei a introdução. Peraí, vou começar de novo :)

Foi assim, deu o horário de almoço, saí da minha sala e me dirigi ao quiosque de comida nordestina caseira onde costumeiramente faço minhas calóricas refeições recheadas de carne assada na brasa… risos

Como de costume, pedi ao Roger, o churrasqueiro, para saber o que tinha pro dia. Era praticamente o mesmo cardápio de sempre, que não me canso de perguntar: contra-filé, alcatra, coração de galinha, costelinha de porco, além das linguiças de frango e porco.

Então, pedi o trivial: contra-filé e alcatra cortados em fatias finas. Naquele momento, o ‘pegador’ de carne estava ao lado da tábua onde as carnes eram cortadas, por isso estendi a mão para pegá-lo, no exato momento em que o Roger levou a faca para cortar a carne. Mas, como minha mão estava no caminho, ele espetou minha mão em vez de fatiar a carne.  :O

Instintivamente, ao perceber o encontro não-intencional e incontornável entre a faca e minha mão, ampliado pela dor da cutelada, recuei o braço o mais rápido que pude, enquanto já me preparava para ver o tamanho do estrago em minha pobre destra.

Entretanto, para minha surpresa, quase não havia sinal de corte, apesar de eu ter sentido o fio da lâmina adentrar minha pele. Se não fosse pela dor, eu teria dificuldades para dizer onde a faca havia atingido a mão. Após alguns segundos, uma pequena mancha de sangue me orientava com exatidão o local do fatídico, porém praticamente inofensivo, incidente. Graças a Deus.

Passei o restante do dia quase sem me importar com isso, exceto porque, de vez em quando, o local coçava ou doía levemente. Nada de mais ou de qualquer gravidade, porém.

À noite, quando me lembrei e contei para minha esposa, percebi que o livramento foi muito maior do que eu pensava, saiba porquê. Eu tenho um vaso estufado na palma da mão, vaso esse que, muitas vezes, fica sobressaltado, estufado e dói horrores. Até parece que o sangue vai esguichar feito a teia do Homem-Aranha. É sério.

Então, se a faca não tivesse resvalado no dedo médio (o fura-bolo) e acertado aquela pele membranosa e grossa que liga o polegar ao indicador, e tivesse acertado a palma da mão, o estrago teria sido feito. E feio. O sangue ia dar no “mêi da canela” (meio da canela). Pense numa tribulação grande que seria.

E hoje, quando fui almoçar de novo, conversando com o Roger e mostrando a palma da mão, percebi outra coisa ainda mais grave: ele sempre usa duas facas para cortar a carne do churrasco, uma peixeira curva desgastada de tanto amolar, quase sem ponta e outra faca de açougueiro, parecida com aquela da imagem que abre o post.

Hoje – ontem, na verdade, ele cortou a carne com ela, com a mão direita, e a faca sem ponta, na mão esquerda. Mas, no dia em que espetou minha mão, as facas estavam trocadas de mão. Se ele tivesse com a faca de corte na mão direita no dia do incidente, nem sei o que poderia ter acontecido, mas uma coisa era certa: eu estaria hoje com a mão enfaixada e com muitos pontos nela.

Jesus, muito obrigado pelo livramento, Senhor!

E você, tem algum testemunho de algum livramento que Deus lhe deu? Conta pra gente aí nos comentários.

Abraços!

 

Que tal receber um aviso quando sair algo novo e interessante no blog?

Cadastre seu email e receba artigos que vão abençoar seu dia!

Wallace

Just another little servant of the Lord Jesus Christ. Apenas mais um pequeno servo do Senhor Jesus Cristo. Editor do blog Desafiando Limites (http://wallysou.com). Crítico do cristianismo evangélico da prosperidade e pensador cristão amador.

Website: http://wallysou.com/

Faça seu comentário e enriqueça o post!

2 Comentários

  1. Toledo

    Deus é fiel, recebi um grande livramento em meu local de trabalho, precisei entrar em um tanque de armazenamento de inflamáveis, a atmosfera interna do tanque quando o mesmo esta em uso é mantida inerte com o gaz nitrogênio. Para a inspeção interna o tanque foi descontaminado e todas as linhas de acesso ao mesmo foram desconectadas cumprindo assim os procedimentos de segurança, normas estabelecidas em NR especifica.
    Para entrada no local, utilizei uma escada que lançada dentro o vaso, me daria condições de descer até o fundo, onde faria a verificação solicitada, para tal manobra estava utilizado roupa especial, inclusive botas e luvas e mascara contra vapores orgânicos, capacete e protetor auricular preso no capacete que por experiencia em situações como esta eu utilizo para proteger os ouvidos e prender melhor meu capacete a cabeça, dando-me mais liberdade de movimentos.

    Por uma razão que não tem nada a ver com atividades deste tipo, coloquei as pernas e o tronco dentro do tanque e puxei fortemente ar para os pulmões e pensei descerei até o fundo do tanque mantendo a respiração presa, e naquele momento não usei o protetor auricular, quando estava a metade do trajeto prendendo a respiração, ouvi um pequeno ruido, olhei para cima e detectei que o som vinha da linha de nitrogênio, mantendo uma calma que não encontraria numa situação destas, mantive a respiração presa e retornei para a plataforma do tanque.

    Imediatamente ao verificar o fato descobri que um ajudante no intuito de me ajudar, mas descumprido normas e técnicas de segurança, re-instalou uma linha do tanque, que ele julgou ser ar comprimido e abriu a mesma para dar conforto ao meu trabalho no interior do tanque, ele nunca poderia ter feito isto e ainda assim conectou erroneamente a linha de nitrogênio.

    Para esclarecer o nitrogênio faz parte da vida na terra, presente no ar em 78%, porém quando puro lançado em um ambiente fechado, ele subtrai a concentração de oxigênio do ambiente e leva a vida humana a óbito em segundos, uma inalada num ambiente deste é suficiente para o óbito. Falta-lhe cheiro, gosto e cor, portanto é imperceptível e é um dos elementos mais perigosos dentro das indústria química, armazenado e utilizado adequadamente só trás benefícios, mas é mortal. E somente pela intervenção de Deus, nesta hora por atitudes que não sei porque (prendi a respiração, não utilizei o protetor auricular) O Senhor da vida abundante me livrou da morte e talvez outros tantos que fossem tentar o meu resgate.
    Toda honra e toda gloria a Deus, vivo para adora-lo……….

Olá, agradecemos sua visita e seu comentário. Sua opinião enriquece a discussão e é importante para nós, obrigado!