30 de Julho – Só um copo de água fria?

30 de Julho – Só um copo de água fria?

    Ainda que seja um copo de água fria. (Mt 10.42.)

O que é para eu fazer? Passamos por este mundo uma só vez. Qualquer boa obra, qualquer ato de bondade ou qualquer serviço que eu possa prestar a uma alma humana ou a algum animal, tenho que fazê-lo agora. Que eu não o negligencie, nem adie, pois não passarei por aqui outra vez. — Velho Provérbio dos Quakers

Tinha apenas uns pães e alguns peixinhos,

Mas os deu a Jesus,

Que os abençoou e alimentou milhares!

Faça o mesmo, e então

Há de ver que o que É posto em Sua mão

Muita bênção produz.

Pois de um copo que seja, de água fria,

Dado em nome de Deus,

Muitas bênçãos virão, muita alegria;

E a quem deu, galardão!

Dê aos outros o que tem; para eles poderá representar muito mais do que você pensa. — Longfellow

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

9 Passos Para Transformar Uma Decepcionante Derrota Em Uma Tremenda Vitória

volta por cima

9 Passos Para Transformar Uma Decepcionante Derrota Em Uma Tremenda Vitória

(Inspirado em uma pregação em um culto de jovens na Ass. Deus do Riacho Fundo II, no Distrito Federal)

Introdução

Eu estive, juntamente com os jovens de minha igreja, visitando a igreja de outro bairro, chamado Riacho Fundo II. Era um culto de jovens e quem pregou nessa noite foi o pr. Marcinho, da Ass. Deus de Santa Maria/DF.

A pregação, muito boa por sinal, foi sobre alguns dos versículos do tema abaixo. Assim, durante e após a mensagem, eu fiquei meditando sobre o texto e acabei desenvolvendo o estudo a seguir.

Espero que ele possa ser útil para sua vida. Se este post ajudar você, posso pedir para avaliar, deixar um comentário ou compartilhar com seus amigos? Agradeço de antemão. :)

Segue o texto, com minhas marcações para facilitar seu entendimento e, depois, meu estudo sobre ele.

(1) Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam. (2) E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus. (3) Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não. (4) E ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes. (5) Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar. (6) E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes. (7) Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão. Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes. (8) Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes e, sendo tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. (9) E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor. João 21:3-12 (acréscimos em negrito não constam no texto original)
Aquira o livro digital do blog por apenas 4,99! Clique na figura e contribua com nosso trabalho. Obrigado!  :)
Adquira o livro digital do blog por apenas 4,99! Clique na figura e contribua com nosso trabalho. Obrigado! :)

1. Não ignore o fato que nossos projetos nem sempre saem como planejado

Um dos grandes males do brasileiro é ser imediatista, querer as coisas “pra ontem”, abusar do improviso, a famosa “cultura do puxadinho” e deixar o planejamento de lado, desprezando essa poderosa ferramenta capaz de direcionar esforços, otimizar recursos e focar alvos e metas de forma metodológica e estruturada.

Inclusive, um mito que muitos ainda acreditam é o planejamento é algo que engessa a vida profissional, intelectual e pessoal de qualquer um. Nada mais enganoso. Na verdade, o planejamento pode – e deve – ser visto como um grande auxílio para libertar-se de ciclos viciosos e experimentar um futuro melhor e mais adequado.

Você pode ler um pouco do que já escrevi sobre o tema nos seguintes posts abaixo:

9 Razões Para Persistir Quando as Coisas Insistem em Dar Errado

8 Valiosas Lições Que Farão de Você um Vencedor

Voltando ao texto. E quanto a nós, quantas vezes já não sofremos e vimos sofrimento alheio por falta de planejamento, desperdiçando escassos e importantes recursos? Não me canso de repetir essa frase tão antiga quanto verdadeira:

“If you fail to plan, you are planning to fail!”, em tradução livre: Se você falha em planejar, você está planejando falhar!, de autoria de Benjamin Franklin.

Como deve ter sido difícil de aceitar para Pedro & cia ltda (quem lê, entenda) esperar um resultado produtivo após uma extenuante noite de trabalho, pensando que teria êxito quando, na verdade, teve seus esforços e esperanças totalmente frustrados!

Mas, isso também deve servir para nós, que somos e estamos constantemente sujeitos a vivenciar as mesmas frustrações e decepções que eles experimentaram. É o seu caso? Não desista ainda, meu amigo leitor. Continue lendo, quem sabe algo bom pode surgir e você encontrará a saída para esse seu impasse. Quem sabe, né? Vamos em frente.

2. Entenda: é quando estamos chegando no limite que Deus age

Fico imaginando a cena. Depois de toda um noite cansativa e improdutiva, lá estavam os discípulos, pescadores experimentados, voltando de mãos vazias. Já imaginou a frustração que eles deviam estampar em seus rostos? Ali devia estar a própria face da decepção e desânimo.

E ali, chegando na praia, vemos que eles estavam também jogando a toalha, entregando os pontos. Sim, porque enquanto eles achavam que ainda tinham alguma chance, eles permaneciam Mar da Galiléia adentro, tentando, jogando a rede mais uma vez, persistindo, insistindo. Mas, você deve saber melhor do que, chega uma hora que cansa, que não dá mais, que nossas forças se exaurem e, nesse momento, nada mais resta a fazer senão baixar a cabeça e admitir que é o fim.

sindrome fosforo queimado

E foi bem ali, no limite entre o mar e a terra, o perfeito símbolo de que eles haviam chegado ao limite das forças, ao limite dos recursos, ao limite da esperança e já estavam vendo com nitidez que tudo aquilo por que eles lutaram, se esforçaram e batalharam foi em vão.

Você já se sentiu assim também, como se todo seu esforço foi em vão? Tudo o que você fez, gastou, investiu e se esforçou tanto, o projeto que você pensou que seria o máximo não lhe deu nem o mínimo de retorno. Sim, aquele grande sonho virou um tremendo pesadelo e agora você está aqui de mãos vazias, abatido, desanimado, desiludido e desesperançado. Acabado, no limite das forças.

E agora, você se pergunta? O que será de mim? O que eu vou fazer agora? Como vou sair dessa enrascada? Estou perdido, sem saber o que fazer, você diz.

Mas, calma, é no limite que Jesus está. E quando você chega no limite, Jesus está lá, esperando por você. Não se desespere, não desista, porque Ele está bem aqui. É quando você percebe que está sem saída que Ele chega com a solução.

Você chegou no limite e não sabe o que fazer? Eu também, e por isso escrevi Vou desistir… Não aguento mais! Leia e renove suas forças. E depois volte pra terminar de ler aqui hein!  :)

3. Saiba que não é nem um pouco vergonhoso reconhecer quando fracassamos

Você sabia que pessoas normais, tipo eu e você, costumam fracassar com muita frequência? É verdade, estou falando sério. E mais, nós fracassamos muito mais vezes do que vencemos, muitas vezes mais do que saímos vitoriosos de uma batalha importante. Enfim, pesando na balança, somos mais perdedores do que propriamente vencedores.

Agora, sabe o que é ainda mais comum do que perder, ser derrotado e fracassar? É ter vergonha de admitir que fracassou, que foi derrotado, que perdeu a luta e saiu humilhado de uma peleja. É muito difícil você se dar conta que, mais uma vez, as coisas deram errado e você acrescentou mais uma derrota em seu currículo.

Mas, quando eu paro e penso em Pedro chegando na praia e aquele estranho perguntando-lhe algo como “e aí, parceiro, pegou o quê hoje?”, e me dou conta que Pedro não inventa desculpas do tipo “ah, estava escuro e frio” ou “o vento nos tirou do lugar certo e nos levou pra longe” ou qualquer outra desculpa que tentasse amenizar a dor do fracasso ou minimizar o tamanho do prejuízo.

Não, senhor, Pedro não. Ele, cabisbaixo, apenas admitiu o que todos ali sabiam: trabalhamos duro, demos o nosso melhor, mas estamos de mãos vazias. Fracassamos. Perdemos. Fomos derrotados. Ele admitiu, reconheceu a derrota.

Sabe o que eu aprendo? Aprendo que quando reconhecemos nosso fracasso, nós nos libertamos do cativeiro da vergonha prolongado que ameaça nos açoitar impiedosamente. Quando admitimos a derrota, quando não ficamos inventando desculpas nem bodes expiatórios em quem colocar a culpa, nossa tão grande culpa, nós deixamos cair o fardo de ter que provar para os outros que somos infalíveis.

E, dessa forma, podemos parar, assumir os erros, identificar as falhas e, mas à frente, corrigir o que fizemos de errado e recomeçar do ponto em que paramos, prontos para dar a volta por cima e mudar a história. Quem sabe, até mesmo escrever uma nova história!

two paths

A segunda coisa é que nós podemos reconhecer nosso fracasso para qualquer pessoa, mas quando confessamos isso abertamente diante de Jesus, ah! Ele tem uma palavra capaz de mudar o rumo da história! Aleluia! Perceba: Jesus não ficou dizendo palavras macias, passando a mão na cabeça nem dando aqueles chavões de auto-ajuda batidos.

Não, Jesus veio com uma nova diretriz, uma nova direção que iria mudar o curso daquela história, que é o próximo passo a ser explorado.

4. Aprenda que a mudança de paradigmas nos leva a conquistas impensáveis e improváveis

Antes de tudo, deixe-me dizer-lhe que minha formação acadêmica é em Administração de Empresas, portanto tenho a tendência de procurar um sentido gerencial ou de maximização de eficiência ou obtenção de resultados em praticamente quase tudo que leio.

É um defeito? Pode ser. Mas, às vezes, eu consigo perceber coisas que podem ser úteis a muitas pessoas. Acredito que este é um dos casos, embora você possa discordar de mim e deixar registrada sua discordância nos comentários, ok? Vamos explorar esse tema juntos?

Em primeiro lugar, fico pensando em Pedro chegando na praia exausto, desanimado e frustrado. Pescador experiente, embora um pouco desatualizado e enferrujado, ele nunca desaprendeu a pescar. Apesar disso, aquela noite provavelmente deve ter sido a mais frustrante e decepcionante de todas! Zero, nada, um fracasso total.

E, ao chegar à praia, eis que Pedro vê um desconhecido que lhe pergunta como foram seus esforços: “pegaram algum peixe?”, e Pedro responde com o “não” mais constrangedor que ele poderia responder. Então o estranho simplesmente diz algo como “mudem a maneira que vocês estavam acostumados a fazer, tentem do lado direito do barco desta vez”.

Sim, às vezes Jesus vem para mudar radicalmente a forma que pensamos, agimos e até mesmo somos. Mas, Jesus não apenas nos muda, Ele nos transforma. Sim, porque depois que O conhecemos, é impossível continuarmos da mesma maneira.

E sabe o porquê de Jesus nos transformar desse modo tão estranho e radical? Entre os vários motivos que posso elencar, cito o que Ele quer nos levar a trilhar novos caminhos, nos levar a um outro nível, a fazer as mesmas coisas de um modo diferente, novo e, perceba, melhor do que antes, alcançando resultados diferentes e surpreendentes.

Caro leitor, você mesmo que me lê agora, quero me dirigir a você de uma forma muito direta e sincera. Já é quase meia-noite enquanto escrevo isso, e preciso acordar cedo amanhã para trabalhar, mas não posso deixar de lhe dizer o que Deus colocou no meu coração para lhe transmitir. Olhe, não importa como você chegou aqui, não importa se chegou de mãos vazias, de coração triste e com seu ânimo destroçado, com a esperança agonizando, prestes a morrer.

Eu estou aqui para dizer a você, que está aí do outro lado, que Jesus ainda é mesmo, e mesmo que Ele pareça um desconhecido para você, quero que saiba que Ele pode mudar sua história e transformar seu fracasso, sua derrota, sua decepção e frustração em algo extraordinário. E quero que saiba que não importa o que você perdeu ou deixou de ganhar, o que Deus tem para sua vida é muito maior do que você imagina ou espera.

never give up

E o que é preciso para que você experimente o milagre de Deus? É o que estamos descobrindo juntos, eu e você, nessas linhas que estamos construindo e experimentando a cada linha que é escrita e lida.

5. Reconheça o Senhor como o principal responsável por suas conquistas e triunfos

Hoje podemos dizer que vivemos em uma época de contrastes, onde várias coisas estão, no linguajar feicebuquenês “tudo junto e misturado”! Engraçado que isso que nos reúne, junta e acondiciona num mesmo lugar acaba por nos diminuir, comprimir e até mesmo oprimir, pois que nos reduz a algo tão nivelado que as individualidades que nos definem e nos identificam se perdem nesse processo. E assim, corremos o risco de sermos cada vez mais diminuídos até à extinção.

Desculpe, acabei divagando bastante aqui, deixando-me levar por uma veia filosófica que não tenho. O certo seria excluir esse parágrafo do texto, para não macular algo que pretendo ser digno de elogio e louvores. Mas, ele também pode me servir de exemplo daquilo que desejo fazer, falar e projetar mas que, em algum momento, desanda e fracassa. E são justamente esses que queremos esconder.

Outro destaque dessa época em que vivemos é a imensa capacidade de algumas pessoas, talvez muito mais do que saibamos mensurar, serem extremamente ingratas. A ingratidão existe no ambiente profissional, familiar, acadêmico, eclesiástico, fraternal e mesmo entre cônjuges, quando não prestamos muita atenção à forma como estamos agindo ou deixando de agir.

E essa ingratidão também afeta nosso relacionamento com o divino, nossa intimidade com o Senhor, o Criador de todas as coisas, já percebeu? Mas, quando eu leio esse texto, uma das coisas que percebo é que a saída de um beco sem saída, essa virada do fracasso para a conquista tem um nome: é JESUS, o Senhor.

Sim, meu amigo, meu caro leitor, nós precisamos reconhecer quando nossa vitória vem de Deus. E, pelo menos para mim, eu hoje posso identificar claramente as digitais divinas em cada vitória e conquista que obtive ao longo de minha vida, tanto as mais simples quanto aquelas que eu achava impossível alcançar.

E você, também pode reconhecer o dedo de Deus nos sucessos de sua vida? Ainda não? Que tal, a partir de agora, estar atento para isso e desfrutar de um sucesso jamais alcançado antes? Hein? Hein? :)

6. Reconheça que a estratégia divina nos capacita a superar nossos limites e melhores expectativas

Sabe uma das coisas que me surpreende nesse texto? É algo que, aparentemente, é bem simples embora muito profundo. Sim, você sabia que é possível algo ser simples e, ao mesmo tempo, profundo? Bom, Jesus era assim: simples e profundo.

Mas, sobre o simples e profundo do texto, o que me chama MUITO a atenção é o fato de que Pedro & Cia Ltda (quem lê entenda, haha) tinha gasto toda a noite, andando (remando, na verdade) pra cima e pra baixo pelo Mar da Galiléia (ou de Tiberíades ou de Genezaré) e o que tinham conseguido? Nada, nadica de nada. Nem uma piaba.

Já pensou nisso: uma noite toda, digamos praticamente umas 12 horas, considerando que eles devem ter ido quando ainda havia luz para aprontarem o barco e já era a manhã do dia seguinte. E, durante a noite, imagino um dizendo ao outro: “aqui não está bom pra peixe, vamos mais pra lá, ou mais pra cá, ou pracolá”! Já imaginou o tanto que eles remaram a noite toda atrás de um mísero peixe?

Mas, quando tiveram um encontro com Jesus e seguiram suas orientações, eles obtiveram um retorno extraordinário, fenomenal, incrível, jamais alcançado antes e também insuperável! Pare e compare: uma noite inteira (aproximadamente 12 horas), remando quilômetros e quilômetros, zanzando, indo e voltando, investindo todos os seus esforços para… nada!

Mas, foi só Jesus entrar em cena, dar uma simples dica e pimba! Tudo estava resolvido! Sim, faça as contas: eles se distanciaram apenas uns 100 metros da praia, onde se encontraram com Jesus, gastaram uns poucos minutos para chegarem lá e… já não podiam acreditar no que estavam vendo! Um milagre havia acontecido! Sim, porque quando Jesus entra em cena, o milagre é certo!

Jesus BFF

E que que saiba que eu também passei por algo assim: eu estava com uma dívida a ser paga, e o tempo de fazer isso se esgotava rapidamente. Eu estava anunciando o bem que havia adquirido e precisava vendê-lo antes que chegasse a data de sua entrega e eu precisasse assumir a totalidade da dívida. Anunciei durante quase um ano, fiz inúmeros contatos, paguei anúncios, me estressei, me descabelei e… nada. Só desgaste.

Então, um dia, entreguei os pontos. Fiz uma oração assumindo minha culpa e confessando meus erros. Pedi perdão e como não tinha mais para onde correr, não tinha mais tempo, eu pedi ao Senhor que me desse sabedoria para lidar com aquele problema e me ajudasse a sair dele.

Então, quando eu estava para negociar a dívida e enfrentar alguns meses de aperto financeiro, eis que Jesus, em menos de 30 segundos, resolve o problema! Estou falando sério, não estou brincando nem inventando! Leia este post que escrevi aqui do milagre que Deus operou em minha vida e saiba como foi:

É possível sair das dívidas?

Creia, meu irmão, meu amigo, meu leitor: Jesus ainda faz milagres hoje. Sim, Ele ainda multiplica pães e peixes e ainda enche redes com cardumes. Ele não mudou, ainda é o mesmo! Apenas creia e desfrute do milagre em sua vida!

7. Reconheça que Deus é o dono de tudo e devolva a Ele um pouco do seu ganho

Não sei se você já parou para prestar atenção nas tristes notícias que vemos todos os dias. Não digo parar para ler, mas para prestar atenção no padrão recorrente. O que quero dizer com isso é que quando isolamos alguns dos fatores que são os motivadores, as razões por trás de muita coisa ruim que acontece, qual seria um dos principais motivos?

Poderíamos elencar vários, certo? Vamos lá: inveja, cobiça, ganância, violência, avareza, etc. Talvez sua lista tenha alguns itens a mais do que esta breve relação de fomentadores de tragédias, não é mesmo? Mas, e se eu lhe dissesse que há uma razão além dessas e talvez você nem tenha se dado conta de que ela é bastante presente hoje? Ficou curioso? Pois bem, eu ouso dizer que muitos dos graves problemas que enfrentamos hoje é fruto da ingratidão das pessoas. Deixe-me lhe dizer algo com sinceridade: poucas coisas doem mais do que ingratidão.

Reflita comigo: você já ajudou alguém e essa pessoa, quando estava em condições de lhe ajudar, simplesmente virou as costas? Como foi que você se sentiu? Ficou decepcionado, magoado, indignado, revoltado? Mas, não vamos estragar nosso dia pensando apenas em coisas ruins, não é verdade? Vamos fazer algo diferente, algo gratificante, tudo bem?

Certo, agora vamos pensar o contrário disso e restaurar um pouco de fé na humanidade. Pense agora nas pessoas que lhe ajudaram quando você mais precisou, que lhe estenderam a mão e como isso foi determinante para que uma situação difícil pela qual você estava passando fosse revertida ou que um grave problema fosse solucionado.

Pode ter sido um problema de saúde, uma dificuldade financeira, uma perda familiar ou qualquer outra daquele tipo de ocorrência que nos deixa prostrados, abatidos e desanimados. Agora, procure se lembrar do que você sentiu pela pessoa que lhe ajudou. Pensou? Como foi? Um sentimento de gratidão inundou sua alma e você gostaria de oferecer algo a ela, mas não era possível? Então, talvez com lágrimas banhando seu rosto você apenas disse “muito obrigado”.

love in action

Pode bem ser que você tenha se prometido que, logo que pudesse, retribuiria o favor, certo? Ou, quem sabe por não poder fazer isso por quem lhe ajudou, resolveu ajudar outros em situação delicada, acertei? Bem, comigo também já aconteceu assim. Eu já fui muito ajudado, muito mesmo. E justamente porque eu não pude retribuir a várias dessas pessoas, eu resolvi ajudar outros de alguma forma, como se fosse meu pequeno tributo e doação pessoal em prol de um mundo melhor.

Esse é um dos motivos pelos quais eu escrevo, porque eu quero abençoar outros de alguma forma, por menor que seja. Foi por isso que escrevi ebooks gratuitos com dicas de estudo para ajudar pessoas que estão lutando por uma vida profissional melhor. É por isso também que já ajudei várias pessoas sem cobrar ou esperar nada em troca.

E neste momento você pode se perguntar: vale a pena, Wallace? Essa é uma pergunta meio difícil de responder, mas vou lhe responder com exemplos, tudo bem? Por exemplo, muitos dos comentários que recebo toda semana aqui, alguns deles emocionados e que também me emocionam, agradecendo pelos posts, são mostras de que, sim, vale a pena. Expressões de gratidão podem atuar como uma verdadeira força motriz que literalmente move você a continuar fazendo aquilo que lhe traz satisfação e prazer.

Mas, nem só de palavras vive um blogueiro, certo? Então, algumas pessoas quiseram demonstrar sua gratidão de modo, digamos mais pálpavel e, por causa disso, já fui presenteado com alguns mimos tais como almoços, jantares e, pasme, até mesmo uma viagem internacional com minha esposa. Meu amigo, creia-me: vale a pena ser generoso e receber gratidão de pessoas que sabem ser gratas.

Por isso, quando vejo Jesus dizendo a Pedro “traga alguns dos peixes que vocês apanharam”, você e eu sabemos quem era o responsável pelo milagre, não é mesmo? Por isso, meu amigo, antecipe-se ao milagre de Deus em sua vida e já comece a pensar em como vai retribuir ao Senhor por aquilo que Ele fará em sua vida, para lhe dar vitória.

Sabe a história de como saí da dívida, que contei acima? Eu fiz um propósito com Deus de que iria abençoar alguém. Então, quando já estava com a bênção na mão, fui até um pastor que havia me ajudado em oração e lhe presenteei com algo que Deus colocou em meu coração. Foi muito gratificante ser usado por Deus para abençoar a vida dele.

E deixe-me lhe dizer algo mais: você não perde nada devolvendo ao Senhor uma pequena parte das bênçãos que Ele lhe der. Acredite, eu estou falando como quem tem experiência no assunto. E, se você crer, essa experiência também pode ser sua a partir de agora. Que tal, quer experimentar?

8. Absorva o fato que a obediência à Palavra do Senhor nos permite atingir o máximo de nosso potencial

Ok, vamos combinar, eu escrevi demais. Sim, eu confesso, eu passei da conta. De novo. Então, por favor, antes de me crucificar por causa disso, deixe-me pedir que volte lá no começo e releia o verso 11, que está marcado com o nº 8 em negrito e depois volte aqui, por favor. Leu? Ok, sigamos em frente.

Você conseguiu notar alguns importantes detalhes nesse versículo? Vou ajudar você, ok? Perceba: a rede estava “cheia”, havia “153” peixes nela, e os peixes eram “grandes”, e mesmo sendo “tantos” a rede “não se rompeu”. Viu quanta coisa interessante para prestarmos atenção? Sabe, às vezes nós lemos isso de uma forma rápida e rasteira e acabamos por deixar passar despercebidos detalhes que fazem toda a diferença. Como diz aquele velho deitado (ou ditado, sempre me confundo) “a diferença está nos detalhes”.

payer

Agora, vamos analisar os frutos que Pedro, bem como seus companheiros, usufruiu por ter dado ouvidos à voz do Senhor.

Ele trocou uma rede vazia por outra rede cheia, embora fosse a mesma rede. Ficou confuso? Eu explico. Há pessoas que eram infelizes no casamento, mas depois que passaram a obedecer a voz de Deus, seu casamento mudou. Antes era uma coisa, hoje é outra. Mudou da água pro vinho (caso queira ler um artigo sobre felicidade no casamento, leia aqui). O cônjuge é o mesmo, mas o casamento é outro. Mudança, milagre, transformação.

Há, também, casos de empresários que experimentaram uma virada na empresa, que deixou de dar dor de cabeça e passou a dar lucro. A empresa é a mesma, mas os resultados são outros. Jesus entrou em cena e operou o milagre da transformação (saiu do vermelho e foi pro azul) e da multiplicação (tanto do faturamento quanto do lucro).

A Bíblia não nos diz, mas fico a meditar cá com meus botões, eu comigo mesmo, qual não foi a grande surpresa de Pedro quando ele puxou a rede. Ele já sabia que ela estava “cheia”, mas que tinha dentro dela “153” peixes, que eram todos eles “grandes” e que mesmo assim, tão cheia, a rede “não se rasgou”, meu irmão, é muito milagre pra um dia só, não é verdade?

Talvez você tenha chegado aqui com um grande dilema, diante de uma encruzilhada, sabendo qual é a vontade do Senhor, sabendo o que deve ser feito, sabendo o que é o certo a se fazer, mas em dúvida se vai fazer ou não, se vai obedecer ou não. Talvez você tenha motivos para estar em dúvida, pode ser que as razões para titubear sejam reais. Talvez você esteja sendo ameaçado e alguém lhe disse que se você fizer de tal maneira, vai se arrepender, vai sair no prejuízo. Eu entendo você, e não o culpo por isso, por estar em dúvida.

Aliás, nem posso culpar você. Afinal, se você não tivesse nenhuma dúvida, não estaria aqui e muito menos estaria lendo isso, não é mesmo? Então, você tem as dúvidas e veio aqui em busca de respostas, certo? Mas, em resumo, qual a resposta ou as respostas que você vai descobrir aqui? Pelo exemplo de Pedro, do que ele experimentou obedecendo à Palavra de Deus, qual sua conclusão? Vale ou não vale a pena obedecer a vontade de Deus?

Se você decidir obedecer, prepare-se para ver algo inusitado, extraordinário e totalmente inesperado. E também não se preocupe que aquilo que Deus tem reservado pra você não vai escapar, a rede não vai se romper, você não vai ver a bênção de Deus escapulir por entre seus dedos, pode crer, meu irmão.

9. Conscientize-se que a razão de nosso sucesso não é o acaso ou a sorte, mas sim a bênção do Senhor

Quando eu era mais jovem, isso lá pelos idos do Século XX,  também conhecido por Milênio Passado (eu nasci um pouco depois que as pirâmides ficaram prontas, apenas para você ter uma noção), eu me achava o máximo quando me saía melhor do que os outros, quando minhas notas eram maiores, quando eu fazia algo melhor ou vencia algum jogo, coisas assim. Seguindo o mesmo raciocínio, quando eu ficava para trás, perdia ou meu desempenho ficava abaixo da média, eu me sentia péssimo.

Naquela época, eu gostava de ostentar que era o melhor. Na verdade, eu pensava que era o melhor, mas hoje eu sei que não era nada disso. Não senhor. Hoje eu sei, já amadureci e sei que a melhor coisa que eu posso almejar e fazer é tentar ser melhor do que eu fui ontem e tentar ser melhor do que eu sou hoje. Isso, por si só, meu amigo, já é uma tarefa por demais complicada e difícil para de fazer.

Para ser sincero, quando eu penso que estou melhorando, a realidade bate à porta e eu descubro que ainda falta muito para ser alguém melhor. E ainda tem aqueles dias, sabe? Sim, homem também tem aqueles dias, dias esses que são diferentes daqueles, mas que também são parecidos com aqueles, entendeu? Se você, homem, não entendeu, não se preocupe, elas entenderam. Não é verdade, meninas? Voltando: naqueles dias que o homem tem, eu descubro que não sou tudo aquilo que eu pensava que era. Eu descubro que sou menos, muito menos do que eu pensava.

E sempre que eu sou confrontado com essa dura realidade, quando essa verdade bate firme em meu rosto e joga no chão toda minha vaidade, eu sou forçado a admitir que tudo aquilo que eu tenho e conquistei é bênção de Deus, que é só pela graça que eu tenho o que possuo hoje. Não que seja muito, mas que é muito mais do que eu mereço.

rigth time

O que eu quero dizer com isso é que a presença de Deus em nossa vida, em nossas conquistas e sucessos é tão evidente que não há como negar isso. Nem Pedro nem seus companheiros fizeram isso. Eu também não faço isso. E você, o que vai fazer?

Conclusão

Meu caro leitor (ou leitora, quem sabe), eu já escrevi demais. Se você chegou até aqui, deve estar cansando, e com razão. Não o culpo. Eu também estou, afinal esses minutos que você gastou para ler, para mim foram horas e horas. Mas, longe de mim estar arrependido.

Quer dizer, talvez eu fique arrependido, sim. E qual seria o motivo de eu ficar arrependido? Se, depois de tanto investimento, tanta reflexão, horas e horas gastas para escrever este post que eu tinha real interesse de que fosse ajudar os leitores, se todo esse meu esforço tiver sido em vão.

Portanto, o mais importante aqui não é o que eu escrevi. Não é a repercussão que o texto pode ter causado e chamado atenção. Se as pessoas chegarem aqui, lerem e, no fim das contas, não forem abençoadas, não aprenderem, de verdade, a trilhar esses 9 passos para transformarem suas derrotas em vitórias, de que adiantou tudo isso, afinal?

Permita-me que eu me dirija a você que me lê agora: se você, leitor, leu e não teve um real benefício disso tudo que lhe prometi quando você chegou aqui, eu ficarei muito, mas muito decepcionado. De verdade. Mas, não com você e sim comigo mesmo.

Portanto, gostaria de lhe pedir que, com toda a sinceridade, deixe seu comentário se este artigo realmente lhe ajudou de alguma forma. Se não ajudou e você se sentiu enganado, pode dizer também, estou lhe dando esse direito, fique à vontade para expressar sua insatisfação.

Se, porém, você foi abençoado de alguma forma, seria pedir muito que avaliasse o post dando sua nota e opinião, além de compartilhá-lo com seus amigos? Se quiser nos abençoar ainda mais, considere comprar nosso livro digital, que está com um preço super especial.

Adquira o livro digital do blog por apenas 4,99! Clique na figura e contribua com nosso trabalho. Obrigado!  :)
Adquira o livro digital do blog por apenas 4,99! Clique na figura e contribua com nosso trabalho. Obrigado! :)

Mais uma vez, obrigado! Deus abençoe sua vida de uma forma grandiosa, tal como foi naquela pesca milagrosa: que você fique seja completamente surpreendido pelo agir de Deus.

Amém?

 

29 de Julho – Tesouros reservados em tempo de angústia

29 de Julho – Tesouros reservados em tempo de angústia

    Acaso… viste os tesouros da saraiva, que eu retenho até ao tempo da angústia? (Jó 38.22,23.)

Nossas tribulações são grandes oportunidades. Muitas vezes nós as vemos como sendo obstáculos. Mas se cada um de nós passasse a reconhecer as situações difíceis como maneiras escolhidas por Deus para nos provar o Seu amor, e passássemos a procurar ao nosso redor os sinais das Suas manifestações gloriosas, isto nos seria um porto de descanso e uma fonte de poderosa inspiração.

Então, cada nuvem se transformaria num arco-íris, e cada montanha numa ascensão gloriosa, e num palco de transfiguração.

Olhando para o passado, muitos de nós descobriremos que as ocasiões em que fomos pressionados ao máximo, e cercados por todos os lados, foram ocasiões em que o Pai celestial nos deu as bênçãos mais graciosas e mais ricas.

Muitas vezes as jóias de Deus nos são enviadas em pacotes grosseiros, e entregues por servos de roupagem escura, mas dentro encontramos os próprios tesouros do palácio Real e do amor do Esposo. — A. B. Simpson

Confie nEle, mesmo em meio à escuridão; honre-O com uma confiança sem vacilações, mesmo no meio de tratamentos misterio sos por parte dEle, e a recompensa dessa fé será como a muda das águias, que, segundo dizem, lhes dá um novo período de juventude e vigor. — J. R. Macduff

   

Ó Senhor, que bom

Confiar em Ti.

Ver a Tua mão

Pelo meu caminho.

Ver que me transformas

Tudo em bem, aqui.

Tu comigo estás:

Eu não vou sozinho!

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

28 de Julho – A bênção escondida na tempestade

28 de Julho – A bênção escondida na tempestade

    O Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade. (Na 1.3.)

Quando rapazinho, eu estudava em um instituto nas vizinhanças do Mt. Pleasant. Certa vez, sentei-me numa elevação da montanha, observando uma tempestade que vinha subindo o vale.

O céu estava carregado, e a terra estremecia com a força dos trovões. Parecia que a paisagem, antes tão linda, tinha-se mudado dali e a sua beleza havia desaparecido para sempre.

Mas a tempestade seguiu seu curso e deixou o vale. Se eu tivesse voltado àquele mesmo lugar no dia seguinte, e tivesse perguntado:

“Onde está aquela horrível tempestade com todo o seu negrume?”, a relva teria respondido: “Parte dela está em mim”; e a flor do campo: “Parte dela está em mim”, e os frutos e tudo o que cresce do solo teriam dito: “Parte da tempestade está ardente em nós.”

Você pediu para ser semelhante ao seu Senhor? Você tem desejado o fruto do Espírito em sua vida, e tem orado pedindo brandura, bondade e amor? Então não tema o tormentoso temporal que está varrendo a sua vida neste momento.

Há uma bênção nessa tempestade; e haverá rica frutificação no “após”. — Henry Ward Beecher

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

27 de Julho – É tanta bênção disponível…

27 de Julho – É tanta bênção disponível…

    Provai-me nisto. (Ml 3.10.)

Creio que Deus está dizendo aqui o seguinte: meu filho, ainda existem janelas no céu, e elas ainda estão em uso. Seus ferrolhos ainda correm bem como no passado. As dobradiças não se enferrujaram.

Eu prefiro muito mais escancará-las e derramar minha graça, do que mantê-las fechadas e reter a bênção. Eu as abri para Moisés, e o mar se fendeu. Abri-as para Josué, e o Jordão foi contido. Abri-as para Gideão e os inimigos fugiram. Eu as abrirei para você — se me permitir que o faça.

Do nosso lado, o céu continua sendo o mesmo depositório rico que era no passado. As fontes e nascentes ainda jorram transbordantes. As salas do tesouro ainda estão regurgitando de dádivas. A falha, portanto, não está do meu lado. Está do seu. Eu estou esperando. Prove-me nisto.

Preencha as condições que lhe cabem. Traga os dízimos. Dê-me uma oportunidade de abençoá-lo. Selecionado.

Nunca me esquecerei de uma breve paráfrase que minha mãe fazia de Malaquias 3.10. O verso começa: Trazei todos os dízimos; e termina: Eu derramarei tanta bênção que haverá problema de espaço para conter.

A paráfrase, então, era: “Dê a Deus tudo o que Ele pede, e receba dEle tudo o que Ele promete.” — S. D. Gordon

A capacidade dos depósitos de Deus é bem maior que o montante das nossas orações, até mesmo das nossas orações mais ousadas! Tenho pensado em algumas das petições que apresento em minhas súplicas. O que tenho pedido?

Tenho pedido uma caneca apenas; e sobra o oceano inteiro! Tenho pedido apenas um raio de sol, e o sol lá está! A minha petição mais completa fica muitíssimo aquém da capacidade de dar de meu Pai: ela é bem mais ampla do que o que somos capazes de pedir. — J. H. Jowett

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

26 de Julho – Esperança e paciência, aliadas inseparáveis

26 de Julho – Esperança e paciência, aliadas inseparáveis

    Nós, pelo Espírito, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. (Gl 5.5.)

Há momentos em que tudo nos parece muito escuro — tão escuro que temos de esperar até mesmo a esperança. Esperar já não é agradável, mesmo tendo esperança.

A demora em se realizar uma esperança nos faz sofrer; mas esperar a própria esperança, não ver nenhum lampejo no horizonte, e contudo recusar o desespero; nada ver ante a janela senão noite, e contudo conservá-la aberta para um impossível aparecimento de estrelas; ter um lugar vazio no coração e contudo não consentir que o ocupe uma presença inferior — nisto consiste a maior paciência do universo.

É Jó na tempestade. É Abraão no caminho de Moriá. É Moisés no deserto de Midiã. É o Filho do homem no jardim do Getsêmani.

Não há paciência mais difícil que a do que fica firme, “como quem vê aquele que é invisível”: é a espera pela esperança.

Tu, Senhor, fizeste bela a espera; Tu fizeste divina a paciência. Tu nos ensinaste que a vontade do Pai pode ser recebida, simplesmente porque é a Tua vontade. Tu nos revelaste que uma alma pode ver no cálice apenas tristezas, e contudo tomá-lo, sabendo que o olho do Pai vê melhor do que o seu.

Dá-me esse Teu poder divino, o poder do Getsêmani. Dá-me o poder de esperar pela própria esperança, de ficar olhando pela janela, embora não haja estrelas. Mesmo que se afaste a própria alegria que me foi dada, concede-me o poder de ficar invicto no meio da noite e dizer:

“Aos olhos de meu Pai ainda deve haver razão para alegria.” Alcançarei o clímax da força, quando tiver aprendido a esperar a esperança. — George Matheson

Esforce-se para ser um daqueles — bem poucos! — que andam na terra com a consciência vivida de que o desconhecido que os homens chamam de Céu está “ali mesmo atrás da cena visível das coisas”.

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

25 de Julho – Quando o machado de Deus cai sobre nós

25 de Julho – Quando o machado de Deus cai sobre nós

    O que eu faço não o sabes agora, compreendê-lo-ás depois. (Jo 13.7.)

Nesta vida, temos apenas uma visão parcial das operações de Deus; vemos Seu plano de modo incompleto e sua execução ainda incompleta; mas tudo aparecerá em sua forma plena e bela, no grande e completo Templo da eternidade!

Andemos até as colinas do Líbano durante o reinado do maior rei de Israel. Vejamos os nobres cedros, orgulho da vegetação… fadados a sucumbir ao golpe do machado!

Ao vermos… a “Árvore de Deus”, como era chamada, cair com estrondo ao solo, soltamos uma exclamação de repulsa contra a brutal destruição e demolição daquele soberbo pilar da natureza.

Mas espere um momento. Sigamos o gigantesco tronco, que é rolado pelo flanco do monte, pelos trabalhadores de Hirão, e depois conduzido em jangadas pelas águas do Mediterrâneo. Por fim, contemplemo-lo a reluzir, polido e ornado no templo de Deus.

Ao vê-lo em seu estágio final — colocado no Santo dos Santos, o diadema do Grande Rei — será que você lamentará que a ”glória do Líbano” tenha sido despojada, para que este cedro pudesse figurar em tão nobre engaste?

Aquele cedro era qual majestoso ornamento no santuário da Natureza, mas a glória da última casa foi maior que a da primeira!

Quantas almas não são como esses cedros! Os machados de Deus — machados de provação — as têm despojado e desnudado.

Não vemos razão para tratamento tão obscuro e misterioso, mas Deus tem em vista um objetivo nobre: colocá-las como colunas eter nas na Sião celestial; fazer delas uma “coroa de glória na mão do Senhor e um diadema real” na mão do nosso Deus. — Macduff

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no GDrive.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Gostou? Avalie nas Estrelas, compartilhe no +1, twitter, facebook, etc ou deixe seu comentário. Obrigado!

 

Fique por dentro das atualizações
em seu email

Inscreva-se em nosso cadastro e receba atualizações de novos posts em seu email.